Espanhol que foi prata em Atenas troca de parceiro em Pequim

quinta-feira, 7 de agosto de 2008 02:29 BRT
 

Por Jane Barrett

PEQUIM (Reuters) - Depois de conquistar surpreendentemente a medalha de prata na Olimpíada de 2004, o jogador espanhol de vôlei de praia Pablo Herrera enfrentou uma decisão difícil: ficar com Javier Bosma e correr o risco de que ele se aposentasse antes de Pequim, ou trocar de parceiro.

Bosma e Herrera ficaram muito surpresos, assim como todos no circuito do vôlei de praia, quando eles chegaram à final olímpica em Atenas.

O sucesso os transformou instantaneamente em heróis na Espanha, mas, no meio de toda a fama, veio a incômoda questão: "E agora?".

"Javier já tinha 36 anos naquele momento e eu não tinha certeza de que ele estaria em Pequim", disse Herrera, depois de uma sessão de treinamento. "O risco de uma contusão é muito maior e eu não saberia lidar com a situação."

"Caso ele se aposentasse em 2006, eu não teria tempo de formar uma nova dupla", disse o jogador de 26 anos.

Em um jogo de duplas como o vôlei de praia, a escolha do parceiro e a construção do entrosamento entre os dois muitas vezes faz a diferença entre duplas boas e ótimas.

Herrera rapidamente decidiu que Bosma era um risco muito alto e, um mês depois dos Jogos de Atenas, ele se juntou a Raul Mesa, com quem ele havia jogado em disputas sub-21 e sub-23.

Desde então a dupla ganhou dois bronzes no Circuito Mundial e o ouro do Campeonato Europeu de 2005.

"É uma decisão difícil, mas no fim você tem que se perguntar o que vai maximizar suas chances", disse Herrera.

"Você vai a uma Olimpíada, ganha ouro, e aí você quer ir novamente. Você começou uma caminhada e quer continuar seguindo."