Maratonista olímpico do Camboja corre contra a pobreza

quinta-feira, 7 de agosto de 2008 03:40 BRT
 

Por Ik Madra

PHNOM PENH (Reuters) - O cambojano Hem Bunting está certo de que a preparação de seus rivais para a maratona da Olimpíada de Pequim tem sido muito diferente da sua.

Ao contrário de seus colegas atletas, Bunting não tem técnico nem patrocinador e treina no caldeirão das ruas da miserável capital de seu país, Phnon Penh. Ele reconhece que tem que fazer todo o esforço por conta própria.

"Eu tenho treinado sozinho a maior parte do tempo", disse Bunting à Reuters, depois de um treinamento perigoso driblando os pedestres e motociclistas.

"As vezes é difícil encontrar um bom lugar para treinar, porque nosso estádio nacional está sempre sendo usado para jogos de futebol", acrescentou.

"Tenho feito assim por quatro anos, mas eu faço isso porque eu amo correr", completou Bunting, cujo melhor tempo é 24 minutos acima do recorde mundial da maratona.

Nascido em uma família de camponeses em uma remota província do noroeste do Camboja, 23 anos atrás, Bunting é um dos apenas quatro atletas que vão representar o país do sudoeste asiático -- duramente marcado pela guerra -- em Pequim.

Ele vive com apenas 30 dólares por mês e os sapatos de corrida de 10 dólares que ele usa já viram dias melhores.

"Acho que um que custe 200 dólares seria mais apropriado para uma maratona olímpica", completou Bunting, que disse que seu espevitado filhote de cachorro o acompanha de vez em quando em suas corridas solitárias. "Eu não tenho dinheiro, o que posso fazer?", conformou-se.