Medicina chinesa faz alerta para substâncias estimulantes

quinta-feira, 7 de agosto de 2008 03:59 BRT
 

Por Belinda Goldsmith

PEQUIM (Reuters) - A maior e mais antiga loja de medicina chinesa em Pequim está com os estoques cheios com ingredientes tradicionais como pênis de veados, cavalos marinhos desidratados, cogumelos e ginseng.

Em um canto da loja agora existem, em um caixa, sinais de alerta para os atletas sobre alguns estimulantes centenários.

Com a maioria do povo chinês usando a tradicional medicina daquele país para se manter saudável ou para curar doenças, o governo lançou uma campanha para deixar bem claro quais drogas são proibidas para os atletas.

Kong Yan Ping, sub-gerente da loja Tongrentang, há 339 anos instalada perto da Praça Tiananmen, disse que cerca de 100 dos 1.200 ingredientes naturais usados na medicina chinesa são estimulantes.

Desde maio, todos os vendedores desses medicamentos foram orientados a isolar qualquer item que possa contrariar a lista de drogas proibidas pelo Comitê Olimpico Internacional e a colocar alertas sobre o fato.

"Atletas devem ter cuidado com drogas que contenham estimulantes", diz o cartaz azul sobre o caixa.

Autoridades olímpicas chinesas aconselharam os atletas a não usarem remédios da medicina tradicional durante o período dos Jogos, quando o COI vai realizar 4.500 testes antidoping, 25% a mais do que em Atenas em 2004.

Muitos atletas já foram punidos anteriormente devido a elementos ilegais encontrados em inócuos medicamentos vendidos livremente.

O astro de basquete chinês Yao Ming é um fervoroso adepto da tradicional medicina de seu país, tradição que data de mais de 2.000 anos.