Campanha olímpica de Tóquio recebe alerta por incidente com Rio

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008 10:10 BRST
 

TÓQUIO (Reuters) - Os líderes da candidatura olímpica de Tóquio aos Jogos de 2016 disseram que continuam trabalhando normalmente, apesar de terem recebido uma repreensão do Comitê Olímpico Internacional (COI).

O COI fez um alerta a Tóquio após comentários feitos por diplomatas japoneses a dirigentes do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), no mês passado, a respeito da candidatura do Rio de Janeiro para a Olimpíada de 2016, apenas dois anos após a realização da Copa do Mundo no Brasil.

Dirigentes da campanha de Tóquio, uma das sete cidades pré-candidatas, acataram nesta segunda-feira a repreensão do COI e garantiram que suas atividades não serão afetadas.

"Nós aceitamos este alerta solenemente", disse a repórteres o presidente da candidatura de Tóquio, Ichiro Kono. "Mas isso não deve ter nenhuma influência em nossas atividades."

Os japoneses teriam reclamado ao presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, da proximidade da realização do Mundial de 2014 no Brasil com os Jogos de 2016, de acordo com a agência de notícias japonesa Kyodo.

De acordo com o COI, a reclamação infringe as regras do processo de candidatura, mas as autoridades japonesas minimizaram o incidente.

"Nada do que aconteceu excedeu os limites do que é socialmente aceitável", disse Kono. "Nós pretendemos continuar nossas atividades normalmente."

O COI intensificou suas regras desde o escândalo de corrupção e suborno envolvendo a vitória de Salt Lake City na campanha pelos Jogos de Inverno de 2002.

Tóquio deseja levar a Olimpíada novamente ao Japão pela primeira vez desde 1964. O Japão também foi sede dos Jogos de Inverno em 1972, em Sapporo, e em Nagano-1998.

(Reportagem de Alastair Himmer)