ENTREVISTA-Sem vento e com ondas, China é desafio para Scheidt

quarta-feira, 7 de maio de 2008 16:21 BRT
 

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Robert Scheidt poderá se tornar o primeiro brasileiro tricampeão olímpico nos Jogos de Pequim, mas para chegar ao ouro em sua primeira Olimpíada na classe Star, o iatista terá que velejar com ventos fracos e muitas ondas na Marina de Qingdao.

Dono de dois títulos olímpicos e oito mundiais velejando como favorito absoluto na classe Laser, Scheidt, de 35 anos, terá na China o desafio de entrar numa competição em igualdade de condições com pelo menos outros oito adversário, segundo sua própria avaliação.

Numa prova tão equilibrada, que será disputada "metro a metro", Scheidt, que tem Bruno Prada como companheiro, pode se beneficiar de um novo barco preparado especialmente para enfrentar as condições de Qingdao, no mar Amarelo, sede das provas de vela dos Jogos de Pequim.

"É um barco com algumas modificações na parte de quilha e de leme, mais otimizado para vento fraco, que é a condição que nós devemos encontrar na China -- vento bem fraco e muita onda", disse Scheidt, em entrevista por telefone à Reuters, antes de embarcar para a Itália, na quinta-feira, onde pegará o novo barco no estaleiro.

"Essa é uma condição que a gente veleja pouco. No Brasil e em outros eventos, normalmente quando o vento é fraco, não tem onda. Onda com vento fraco é bastante diferente", acrescentou o velejador, que trocou a Laser pela Star após conquistar o octacampeonato do barco individual, em 2005.

"Mas não é um barco extremo, ele também deve render bem se o vento aumentar."

STAR ATÉ 2012

Scheidt e Prada conquistaram a medalha de bronze no Mundial dos Estados Unidos, em Miami, no mês passado, depois de terem conquistado o título mundial em 2007. A queda de duas posições, segundo Scheidt, reflete o equilíbrio atual da classe Star no mundo, ao contrário do que acontecia quando ele velejava na Laser.   Continuação...

 
<p>Velejadores treinam na marina de Qingdao, instala&ccedil;&atilde;o que ser&aacute; sede das provas de vela dos Jogos de Pequim, em foto de arquivo de agosto de 2006. Photo by Nir Elias</p>