Para número 1 do tênis brasileiro, basta 1 vitória em Pequim

terça-feira, 8 de julho de 2008 18:39 BRT
 

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Uma única vitória em Pequim. Esse seria um resultado considerado bom pelo principal tenista do Brasil na atualidade, Thomaz Bellucci, que aos 20 anos disputará pela primeira vez os Jogos Olímpicos, no mês que vem.

Número 68 do mundo, e como consequência tenista número 1 do Brasil, o jovem tenista de Tietê (SP) terá em Pequim o maior desafio de sua breve carreira, justamente no mesmo ano da aposentadoria do principal tenista da história do país, Gustavo Kuerten.

"Acho que um bom resultado na Olimpíada seria ganhar um ou dois jogos, pensar em medalhas acho um pouco longe ainda", afirmou Bellucci em entrevista à Reuters, por e-mail. "Este torneio servirá como experiência para mim, por ser um torneio diferente dos outros."

Apresentado ao esporte pelos pais, Bellucci encontrou motivação para seguir na carreira de tenista a partir dos 15 anos. Ele foi incentivado pelo sucesso de Guga, ex-número 1 do mundo e tricampeão de Roland Garros, que este ano deixou as quadras após ter passado por duas cirurgias no quadril.

Bellucci, que se afasta da pressão de ser considerado um substituto para o ídolo, acredita que se "igualar a ele será muito difícil para qualquer jogador". No futuro, no entanto, espera estar entre os 30 melhores do ranking, o que já o colocaria como um dos principais tenistas da história do país. "Minha meta a longo prazo, sem data pré-estabelecida, é estar entre os 30 primeiros por algum tempo", afirmou ele, que este ano pela primeira vez disputou torneios do Grand Slam, perdendo para o tetracampeão Rafael Nadal na estréia de Roland Garros e alcançando a 2a rodada de Wimbledon.

"Acho que entre os 10 (primeiros do ranking mundial) é um caminho muito longo ainda", acrescentou Bellucci, que terá a companhia de Marcos Daniel na chave de simples e da dupla Marcelo Melo/André Sá na competição olímpica de tênis.

Em Pequim, o tenista terá como inspiração a campanha de Fernando Meligeni nos Jogos de Atlanta, em 1996. Até então desconhecido da torcida, o argentino naturalizado brasileiro conseguiu um dos melhores resultados da carreira ao terminar em quarto lugar, perdendo a disputa da medalha de bronze para indiano Leander Paes.

  Continuação...

 
<p>Para n&uacute;mero 1 do t&ecirc;nis brasileiro, basta 1 vit&oacute;ria em Pequim. O tenista Thomaz Bellucci em imagem de arquivo. Uma &uacute;nica vit&oacute;ria em Pequim. Esse seria um resultado considerado bom pelo principal tenista do Brasil na atualidade, que aos 20 anos disputar&aacute; pela primeira vez os Jogos Ol&iacute;mpicos. 11 de abril de 2008. Photo by Paulo Whitaker</p>