Olympique pede a volta de jogador nigeriano que estava em Pequim

sexta-feira, 8 de agosto de 2008 07:24 BRT
 

Por Phumza Macanda

PEQUIM (Reuters) - A Nigéria terá que buscar seu segundo ouro olímpico no futebol masculino sem o defensor Taye Taiwo, já que o clube do atleta, Olympique de Marselha, não permitiu que ele disputasse os Jogos Olímpicos de Pequim.

Uma decisão da Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) permitiu o retorno dos jogadores com até 23 anos para as equipes que defendem. Os brasileiros Rafinha e Diego e o argentino Messi conseguiram a liberação de seus clubes após acordo.

A CAS acatou na quarta-feira pedidos dos clubes, depois de a Fifa determinar que estes eram obrigados a ceder os atletas sub-23 para as seleções que disputarão a Olimpíada.

O técnico da seleção nigeriana, Samson Siasia, disse que a ausência de Taiwo, 23, que já foi comparado ao brasileiro Roberto Carlos, não afetará as chances de sua equipe em Pequim.

"Estou muito, muito decepcionado. Mas um jogador só não é questão de vida ou morte. É preciso de uma equipe para ganhar a medalha e, apesar de tudo, o treino está indo bem", declarou na sexta-feira.

A Nigéria surpreendeu ao ganhar os Jogos de Atlanta-1996, após eliminar o Brasil e derrotar a Argentina na final.