Scheidt prevê futuro longo na classe Star

sexta-feira, 8 de agosto de 2008 01:36 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - Bicampeão olímpico na classe Laser e em busca de ser o primeiro tricampeão brasileiro, Robert Scheidt vislumbra um futuro longo em sua nova classe, a Star.

A poucas horas de comandar como porta-bandeira a delegação brasileira na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, nesta sexta-feira, Scheidt afirmou que a competição que disputará ao lado de Bruno Prada é mais uma etapa na carreira que pretende dure mais algum tempo.

"A nossa dupla não visa só a esses Jogos Olímpicos. A gente pretende que essa seja uma das passagens de um processo que vai durar, tomara, muitos anos ainda", disse ele em entrevista.

"A gente não está encarando esta Olimpíada como questão de vida ou morte, o objetivo final da nossa carreira".

Scheidt evita comentar a possível conquista do tricampeonato, destacando que as condições de prova serão difíceis e que praticamente todos os competidores estão bastante nivelados.

"Eu não fico pensando muito nisso. Estou encarando um dia de cada vez. Se a gente sair daqui com uma medalha olímpica, vai sair muito feliz; se não, não vai sair feliz, mas a vida continua", afirmou.

"O foco não é pensar na medalha de ouro, é pensar na performance, em como a gente pode entrar mais tranquilo, com o barco mais acertado. Será uma Olimpíada em que vai vencer quem conseguir sair melhor das situações difíceis".

Scheidt está ansioso para entrar no Estádio Ninho de Pássaro carregando a bandeira brasileira.

"Espero poder carregar bem a bandeira, representar bem o país. É uma delegação jovem, renovada, com boas chances nessa Olimpíada. Quando estiver com a bandeira na mão com a galera toda atrás, vou sentir uma energia muito especial".