8 de Agosto de 2008 / às 07:57 / 9 anos atrás

Cielo reprova roupa da Tyr e deve nadar com LZR Racer

<p>C&eacute;sar Cielo treina no Centro Aqu&aacute;tico Nacional em Pequim REUTERS. Photo by Sergio Moraes</p>

Por Alberto Alerigi Jr.

PEQUIM (Reuters) - O nadador velocista César Cielo testou nesta sexta-feira um traje de alta performance da Tyr, mas as caretas que fez ao colocá-lo, ajudado pelo técnico e por um amigo francês que tiveram de fazer força para ajustá-lo ao brasileiro, foram os indicativos de que a roupa não será usada nas provas no Cubo D'Água de Pequim.

Cielo deve competir com o LZR Racer, da Speedo, maiô utilizado por diversos nadadores que quebraram recordes mundiais este ano antes dos Jogos Olímpicos. Toda a delegação brasileira terá o traje à disposição em Pequim.

"Ele não gosta muito daquele traje (da Tyr), não vai usar na competição", disse o treinador de Cielo, o australiano Brett Hawke, afirmando que o brasileiro, que disputa as provas de 50 e 100 metros livres e revezamento 4x100 metros livre e medley, colocará a roupa da Speedo na competição. "Ele se sente mais confortável nele."

Perto do fim da sessão de treinamentos desta sexta-feira, Cielo apareceu com o traje da Tyr, negro com detalhes prateados, vestido apenas nas pernas. O nadador precisou da ajuda de seu técnico e do parceiro de treinos nos Estados Unidos, o francês Fred Bousquet, para vestir a parte de cima.

Puxando várias vezes o maiô para os lados de seu peito, Cielo ainda mostrou desconforto ao se ajeitar sobre a plataforma da piscina, apesar de receber cumprimentos de outros nadadores sobre o traje. A impressão que passou foi que o maiô era tão justo que atrapalhava a respiração.

"Os maiôs têm que ser justos mesmo para não entrar água dentro quando estão nadando", disse Hawke. "E ele não precisa mesmo respirar nos 50 metros", brincou o treinador.

O teste ocorreu porque a fabricante do Tyr estava entregando maiôs para nadadores de várias delegações nesta sexta-feira, apenas um dia antes do início das provas de natação, disse Hawke.

Na piscina, Cielo deu algumas braçadas cronometradas pelo técnico, mas depois de voltar a demonstrar desconforto no peito e na região da virilha, deixou a piscina e foi ao vestiário.

BARBUDOS

Enquanto o brasileiro testava o traje, seu colega de equipe Thiago Pereira circulava pelo complexo do Cubo D'Água com barba já grande e chapéu enfiado na cabeça. Evitando falar com a imprensa, ele apenas acenou garantindo que aparecerá na estréia, no sábado, com o rosto limpo.

"Vou tirar hoje", gritou já quase de dentro do vestiário, brincando com o companheiro Henrique Barbosa, sobre a farta cabeleira que ele exibia no rosto também. "E ele vai também", disse Pereira.

Para o canadense Mike Brown, um dos vários marmanjos barbados da equipe de seu país na sessão de treinamento, a sexta-feira ainda incluirá algumas horas de raspagem de pêlos para diminuir a resistência do corpo com a água.

"Todo mundo vai fazer o mesmo, eu mesmo vou passar duas ou três horas nisso", disse o nadador.

"É uma espécie de ritual dos nadadores", afirmou Rômulo Noronha, chefe da equipe de natação do Brasil, também com a barba por fazer.

Edição de Pedro Fonseca

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below