Lula defende Dunga e diz que vitória "foi de bom tamanho"

segunda-feira, 8 de setembro de 2008 18:37 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva mudou, nesta segunda-feira, o tom crítico em relação à seleção brasileira depois da convincente vitória da equipe sobre o Chile, por 3 x 0, no domingo, e defendeu a permanência do técnico Dunga no cargo.

"Não se pode avaliar um técnico antes de ele acabar seu trabalho. O técnico tem que acabar o que começou", afirmou Lula a jornalistas, antes de cerimônia no Itamaraty, enquanto esperava a presidente da Argentina, Cristina Kirchner.

"No Brasil, se o time ganha é porque o time é bom. Se perde, é porque o técnico é ruim", disse Lula, acrescentando que a atuação contra o Chile "foi de bom tamanho, também não se pode humilhar os adversários".

Na semana passada, enquanto os jogadores treinavam em Teresópolis (RJ) para a partida, o presidente criticou a postura em campo da seleção e disse que, na sua opinião, o técnico Vanderlei Luxemburgo era melhor do que Dunga.

Os comentários do presidente, que ainda elogiou o atacante argentino Lionel Messi, repercutiram mal na seleção e o goleiro Julio César chegou a dizer que o presidente deveria "renunciar e se mudar para a Argentina". Depois, o jogador se desculpou.

Após a vitória sobre os chilenos, que encerrou um jejum de três jogos sem marcar da seleção principal do Brasil e levou o time do sexto para o segundo lugar nas eliminatórias para a Copa de 2010, Dunga disse que "o presidente hoje está contente, assim como todo o povo brasileiro", quando perguntado sobre as críticas de Lula.

O treinador, entretanto, garantiu nesta segunda-feira que não utilizou os comentários do presidente Lula para estimular os jogadores na preleção antes do jogo.

(Reportagem de Ray Colitt e Pedro Fonseca)