9 de Agosto de 2008 / às 00:18 / 9 anos atrás

Cerimônia espetacular e histórica abre Jogos Olímpicos de Pequim

<p>Equipe ol&iacute;mpica brasileira acompanha o porta-bandeira Robert Scheidt durante a cerim&ocirc;nia de abertura dos jogos em Pequim, dia 8 de agosto.A China abriu nesta sexta-feira a Olimp&iacute;ada de Pequim com um espet&aacute;culo de tambores e fogos de artif&iacute;cio, numa cerim&ocirc;nia fascinante que celebrou a hist&oacute;ria do pa&iacute;s. Photo by Kai Pfaffenbach</p>

Por Crispian Balmer

PEQUIM (Reuters) - A China abriu nesta sexta-feira a Olimpíada de Pequim com um espetáculo de tambores e fogos de artifício, numa cerimônia fascinante que celebrou a história do país e visa a fazer o mundo esquecer os últimos meses de controvérsias políticas.

O ex-ginasta chinês Li Ning, que conquistou seis medalhas nos Jogos de Los Angeles-1984, foi o escolhido para acender a pira olímpica no estádio Ninho de Pássaro. Suspenso no ar carregando a tocha olímpica, Li Ning deu a volta no estádio como se estivesse correndo sobre um pergaminho projetado no anel superior até acender a pira, no alto do estádio.

O Brasil foi o 38o país a desfilar, tendo o velejador bicampeão olímpico Robert Scheidt como porta-bandeira. Festejados pelo público, os brasileiros, com muitas câmeras, trocaram acenos com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A delegação desfilou vestida de camiseta branca, casaco verde com lapela azul marinho, calça também azul -- saia para as mulheres -- e um chapéu branco com uma faixa verde-amarela.

Os Jogos foram oficialmente abertos às 23h37 (12h37 de Brasília) pelo presidente chinês, Hu Jintao, após discurso do chefe do Comitê Olímpico Internacional, Jacques Rogge. O evento vai até dia 24. Serão 10,5 mil atletas, de 204 nações (um recorde), buscando 302 medalhas de ouro em 28 esportes.

Cerca de 80 líderes mundiais, incluindo o norte-americano George W. Bush e Lula, estiveram entre os 91 mil espectadores da cerimônia. A audiência televisiva global deve superar 1 bilhão de pessoas.

“Como um sonho, que esses Jogos Olímpicos tragam a vocês alegria, esperança e orgulho”, disse Rogge ao público chinês, antes de Jintao abrir oficialmente a Olimpíada.

FOGOS ILUMINAM NOITE

Um exército de 2.008 percussionistas hipnotizou o estádio Ninho de Pássaro com uma batida ressonante como trovão, com suas baquetas vermelhas brilhando na noite de Pequim.

Essa foi a contagem regressiva perfeita para uma cerimônia de abertura espetacular dos Jogos Olímpicos, que apresentou para o mundo uma das civilizações mais antigas.

No país que inventou a pólvora, os fogos de artifício explodiram por toda a arena e depois se espalharam pelo coração da cidade.

Vinte e nove mil fogos explodiram colorindo o céu a caminho da Praça da Paz Celestial, em uma espetáculo sensacional de pirotecnia. Foi como um exército de luz tomando conta do céu.

No estádio, acrobatas presos a cabos apareceram voando como fadas pelo ar e iluminaram os anéis olímpicos, que foram levantados acima do estádio.

Pinturas tradicionais chinesas foram projetadas em uma enorme tela no chão, e atores exibiram caracteres chineses com seis corpos, comemorando a invenção da impressão gráfica, uma das mais importantes da história chinesa.

Caixas cinzas gigantes representando os blocos de impressão da China antiga surgiram do chão, se espalharam pela arena e se transformaram na Grande Muralha da China.

Guerreiros de Terracota foram retratados retornando de um triunfo, em uma cena tradicional da ópera chinesa.

Mil bailarinos cobertos com luzes piscantes realizaram complicados desenhos no meio do estádio, e se transformam numa réplica em miniatura do Ninho de Pássaro. Uma pequena chinesa voou sobre a escultura humana como um cometa.

Um gigantesco globo de cristal surgiu do nada e saiu do solo para surpresa dos 91.000 espectadores presentes ao estádio, numa noite quente e úmida na capital chinesa.

A cantora britânica Sarah Brightamn se uniu ao artista chinês Liu Huan no topo do globo para cantar o hino olímpico em chinês composto especialmente para os Jogos, enquanto fotos de crianças de todo o mundo surgiam em guarda-chuvas.

Os fogos de artifício voltaram a aparecer, para dar início ao desfile dos atletas dos 204 países. Como manda a tradição olímpica, a Grécia, inventora dos Jogos, abriu a marcha, e a China foi o último país a ingressar no estádio, liderada pelo jogador de basquete Yao Ming.

O majestoso espetáculo, que teve direção do cineasta Zhang Yimou, teve participação de 14.000 artistas.

O show, que resumiu 5.000 anos de história, evitou muitos dos clichês relacionados à China, como os ursos pandas, as lamparinas vermelhas e coreografias de dragões.

A China não quis contrariar a astrologia e inaugurou os Jogos às 8 horas da noite do dia 8 do mês 8 de 2008. Deu resultado, e a ameaça de Chuva não se realizou.

A Olimpíada custa 43 bilhões de dólares para a China, superando de longe os 15 bilhões de Atenas-2004. Milhares de pessoas tiveram suas casas desapropriadas para dar espaço às instalações olímpicas.

Os chineses esperam que seus compatriotas salientem o poderio do país liderando o quadro de medalhas pela primeira vez na história.

Reportagem adicional de Catherine Bremer e Paul Majendie

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below