CBDA aponta discrepância em exames antidoping de Rebeca no Pan

quinta-feira, 8 de novembro de 2007 21:04 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - Os exames antidoping da nadadora Rebeca Gusmão durante os Jogos Pan-americanos deste ano, declarados negativos, "pertencem a diferentes doadores", afirmou nesta quinta-feira um comunicado da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), citando testes laboratoriais.

A confederação informou que pediu a realização de um exame de DNA nas amostras que seriam de Rebeca e que foram submetidas a testes durante o Pan após o Ladetec, laboratório responsável pelo controle nos Jogos, afirmar que as amostras eram "atípicas".

O teste de DNA, realizado pelo laboratório Sonda da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), conclui que as amostras "pertencem a diferentes doadores". A nadadora conquistou quatro medalhas no Pan do Rio de Janeiro, duas delas de ouro.

Ainda de acordo com a nota, a descoberta deve agora ser analisada pela Comissão Executiva da Organização Desportiva Pan-Americana (Odepa).

No mesmo comunicado, a CBDA informou que a doutora Renata Castro, diretora médica da entidade, solicitou afastamento imediato "por motivos pessoais" e reafirmou que não ocultou informação sobre o caso da atleta.

"Jamais ocultamos quaisquer aspectos que possam ser legalmente revelados", disse na nota o presidente da CBDA, Coaracy Nunes Filho.

Rebeca foi suspensa preventivamente pela Federação Internacional de Natação (Fina) na segunda-feira, em função de um teste feito pela entidade no dia da abertura do Pan no qual foi encontrado a substância testosterona --hormônio masculino. Ela corre risco de perder as medalhas que conquistou.

A suspensão de Rebeca tem validade a partir de 2 de novembro até julgamento a ser marcado pela federação. A nadadora, de 23 anos, está proibida de participar de qualquer competição.

(Por Eduardo Simões)