Presidente da Geórgia diz a atletas que permaneçam nos Jogos

sábado, 9 de agosto de 2008 22:00 BRT
 

Por Jon Bramley

PEQUIM (Reuters) - O presidente da Geórgia disse aos 35 atletas olímpicos do país que permaneçam nos Jogos de Pequim pelo "melhor interesse do país", apesar dos ataques militares russos ao seu território.

A mensagem do presidente Mikheil Saakashvili foi dada à equipe em uma reunião às 2h de domingo (horário local, 15h de sábado no horário de Brasília) pela primeira-dama do país, que está em Pequim, disse à Reuters o porta-voz Giorgi Tchanishvili.

"A equipe toda quase não dormiu", disse ele. "Estávamos prontos para deixar os Jogos Olímpicos e esperávamos até o último momento pela decisão".

"A primeira-dama (Sandra) então falou com toda a equipe na Vila Olímpica às 2h da manhã e nos disse que deveríamos ficar pelo melhor interesse do país".

Mais cedo, o Comitê Olímpico Georgiano havia dito que estaria disposto a deixar os Jogos por causa da violência na Geórgia.

Saakashvili pediu um cessar-fogo no sábado, depois que os russos ampliaram a ofensiva para forçar o recuo das tropas georgianas que buscam o controle da região separatista da Ossétia do Sul.

No sábado, autoridades russas calcularam o número de mortos em 2 mil. Até 30 mil refugiados da Ossétia do Sul teriam fugido para a Rússia.

A delegação olímpica georgiana pediu ajuda à comunidade internacional para acabar com a violência.

"Essa estratégia deliberada de agressão chegou a uma intervenção militar em alta escala envolvendo todas as regiões da Geórgia", disseram os atletas em um comunicado para a Reuters.

"A Geórgia convoca a comunidade internacional para deixar claro (à Rússia) que a intromissão e o bombardeio do território de um Estado soberano é inaceitável no século 21 e que esses atos não podem e não serão tolerados".