Clima na Olimpíada é melhor do que final da NBA, diz Bryant

domingo, 10 de agosto de 2008 22:13 BRT
 

Por Simon Evans

PEQUIM (Reuters) - Kobe Bryant disse que a atmosfera que envolveu o time olímpico de basquete dos Estados Unidos na estréia nos Jogos Olímpicos contra a China foi mais emocionante do que as finais da NBA.

"Foi um tipo diferente de energia", disse o jogador aos repórteres, depois da vitória americana frente os chineses por 101 a 70, no domingo.

"Sou privilegiado por ter jogado quatro finais da NBA e mais uma série de outros grandes jogos, mas isso foi diferente. Você sente que tem muito mais apoio porque eram os Estados Unidos e, obviamente, os torcedores têm muito orgulho de seu país.

"Você entende que tem algo a mais que é maior do que o jogo, não é apenas um jogo de final, ou mesmo um sétimo e decisivo jogo, é mais que isso."

Bryant e seus colegas de time foram aplaudidos pelo ginásio lotado com 18 mil pessoas, que gritavam a cada ponto marcado.

""Eu enterrei cinco vezes em um jogo. Na última fez que eu que enterrei cinco bolas em um jogo, tinha 17 anos. Foi por causa da energia da torcida. Dava para sentir a eletricidade. Foi sensacional", disse Bryant.

"Acho que eles sabiam que a história estava sendo construída esta noite. Certamente foi um momento de orgulho para o país deles e você sentia a eletricidade", completou Bryant, que marcou 18 pontos no jogo.

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, estava na torcida e encontrou os jogadores de seu país antes do jogo -- outro ingrediente de uma noite especial para o jogador do Los Angeles Lakers.

"Foi muito bom, ele basicamente veio e nos disse que estava lá para nos apoiar, que nosso país torce por nós, então, 'saiam e chutem alguns traseiros"', disse Bryant, que afirmou mais tarde estar parafraseando o presidente Bush.

"Ouvir isso coloca as coisas em outra perspectiva. Você olha na torcida e vê outros atletas americanos te apoiando, depois você vai nas competições deles para torcer. É como uma irmandade."

 
<p>Kobe Bryant, dos Estados Unidos, d&aacute; uma de suas sete enterradas durante a partida contra a China. Photo by Lucy Nicholson</p>