China supera EUA na ginástica feminina; Brasil vai à final

domingo, 10 de agosto de 2008 11:01 BRT
 

Por Pritha Sarkar

PEQUIM (Reuters) - Uma aterrissagem desastrosa das paralelas assimétricas, por parte de He Kexin, impediu uma vantagem mais incisiva da China sobre a equipe feminina dos Estados Unidos, que já estava abatida por lesões, na qualificação da ginástica artística da Olimpíada de Pequim neste domingo.

O Brasil classificou-se para a final por equipes pela primeira vez, em sétimo lugar, com 233.800.

China e Estados Unidos, superpotências da ginástica artística, brigam por uma apresentação de gala na final por equipes na quarta-feira. Mas tanto chinesas como norte-americanas tiveram de vencer reveses na abertura da competição.

He Kexin, uma das favoritas ao ouro das assimétricas, arrancou exclamações de susto do público, enquanto executava espantosas combinações nos vôos de sua série. Mas sua mão escapou em uma passagem da barra mais alta para a baixa, manobra comum dela.

Depois de retomar a rotina no aparelho e completar sua participação, a garota de 16 anos começou a chorar e teve de ser consolada pelo técnico. Mas, mesmo com a falha, ela ainda marcou um respeitável 15.725.

Tamanho é o talento da equipe chinesa, que as garotas foram capazes de superar os próprios erros e voltar ao banco com o total de 248.275 na soma geral.

As campeãs mundiais dos Estados Unidos fecharam 246.800. A Rússia ficou em terceiro com 244.400, enquanto as romenas, que defendem o título olímpico, pareciam instáveis com seu 238.425, em quarto. As outras equipes classificadas são Austrália (5o), França (6o) e Japão (8o).

GAROTAS NERVOSAS   Continuação...

 
<p>Ginastas do Brasil parabenizam Daiane Santos of Brazil ap&oacute;s sua apresenta&ccedil;&atilde;o na prova de classifica&ccedil;&atilde;o do solo dos Jogos de Pequim, neste domingo. O Brasil classificou-se para a final por equipes em 7o lugar. Photo by Mike Blake</p>