McCain diz que boicotaria cerimônia de abertura da Olimpíada

quinta-feira, 10 de abril de 2008 16:39 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, John McCain, disse nesta quinta-feira que o presidente George W. Bush deveria repensar os planos de comparecer à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, baseado nas concessões que poderiam ser feitas pela China em relação ao Tibet e ao Dalai Lama.

"Acredito que o presidente Bush deveria avaliar sua participação nas cerimônias olímpicas e, baseado nas ações chinesas, decidir se é ou não apropriado comparecer", disse McCain em um comunicado escrito.

McCain deixou claro o que faria se fosse presidente.

"Se as práticas e políticas não mudassem, eu não iria às cerimônias de abertura", disse McCain.

"Não é útil para o governo chinês, nem para o povo chinês, que os Estados Unidos e outras democracias finjam que a supressão de direitos não nos diz respeito."

A China tem sido severamente criticada pelos governos ocidentais por uma repressão sangrenta no Tibet. A China sediará a próxima edição dos Jogos Olímpicos e o presidente norte-americano, até agora, planeja comparecer à cerimônia de abertura em Pequim.

McCain, candidato do Partido Republicano à presidência dos EUA, enfrentará o senador de Illinois, Barack Obama, ou a senadora de Nova York, Hillary Clinton nas eleições presidenciais de novembro.

Tanto Hillary quanto Obama disseram que Bush deveria boicotar a cerimônia de abertura das Olimpíadas se a China não tomar medidas para acabar com o genocídio em Darfur e para melhorar as condições dos direitos humanos no Tibet.

Bush diz que planeja comparecer às cerimônias, mas na quarta-feira, sua porta-voz, Dana Perino, disse a jornalistas que ainda era "muito cedo" para que ela anunciasse a agenda do presidente.   Continuação...