10 de Agosto de 2008 / às 06:17 / 9 anos atrás

Segurança será reforçada em Pequim depois de ataque

Por Paul Majendie

PEQUIM (Reuters) - Os organizadores dos Jogos Olímpicos prometeram, no domingo, apertar ainda mais a segurança na área central de Pequim depois que um turista norte-americano morreu esfaqueado. Mas também insistiram que a capital chinesa é segura.

“Não existe razão para acreditar que o ataque tinha norte-americanos por alvo”, disse Wang Wei, porta-voz dos organizadores dos Jogos de Pequim.

Todd Bachman morreu no sábado, vítima de ataque de um desempregado chinês, que depois se suicidou.

Ataques a estrangeiros são raros em Pequim. A polícia confirmou não ter idéia da motivação do assassino.

“Vamos apertar a segurança em locais turísticos... para termos certeza de que nenhuma arma possa ser levada a essas áreas”, Wang disse aos repórteres.

“Pequim é uma cidade segura, mas infelizmente não somos imunes a ataques violentos.”

Barbara, mulher de Bachman, seguia internada em estado crítico, mas estável, no domingo, depois de passar por oito horas de cirurgia. Ela sofreu lacerações múltiplas e feridas profundas sofridas no ataque.

O Comitê Olímpico dos Estados Unidos disse que familiares de Barbara, incluindo seu genro Hugh McCutcheon, que é técnico do time masculino de vôlei do país, estão com ela.

A seleção masculina de vôlei dos Estados Unidos faz sua estréia contra a Venezuela neste domingo. McCutcheon, que é neozelandês, não estará no banco, disseram dirigentes norte-americanos.

A polícia disse que o guia turístico, também ferido durante o ataque, está fora de perigo.

Tang Yongming, 47 anos, da cidade de Hangzhou, atacou o casal Bachman e o guia chinês logo depois do meio-dia, na centenária Torre do Tambor, de 45 metros de altura, no centro de Pequim.

Tang, que não tinha antecedentes criminais, morreu depois de se atirar da torre, segundo a polícia.

“Com ele morto, não há como descobrir o motivo do ataque”, disse Wang. Tudo o que a polícia sabia era que ele não tinha ficha criminal e que tinha chegado a Pequim em 1o. de agosto.

A Embaixada dos Estados Unidos em Pequim disse que o ataque “parece ter sido um ato insensato de violência”.

“Parece ter sido um ato isolado, sem nenhuma conexão com a Olimpíada”, divulgou a embaixada, em declaração oficial. “Não temos razão para acreditar que o agressor visava cidadãos norte-americanos como vítimas”.

O embaixador Clark Randt fez uma visita ao hospital onde estão Barbara e seus familiares no domingo, levando condolências do presidente George W. Bush.

Com reportagem adicional de Benjamin Kang Lim e John Bramley

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below