Não precisa agradecer, dizem companheiros de equipe a Phelps

segunda-feira, 11 de agosto de 2008 09:02 BRT
 

Por Alan Baldwin

PEQUIM (Reuters) - Mesmo que Michael Phelps se sentisse em dívida com seus companheiros do revezamento 4x100 metros livre dos Estados Unidos por terem o mantido com chances de conquistar o recorde de oito medalhas de ouro em Pequim, ele não vai precisar agradecer.

"Isso não é necessário", disse Garrett Weber-Gale, segundo homem dos EUA, após a impressionante vitória norte-americana sobre a França, com direito a recorde mundial, nesta segunda-feira. Esse foi o segundo ouro de Phelps na Olimpíada, e ele ainda vai brigar por mais seis.

"Nós somos uma equipe, todos nós viemos aqui para fazer uma coisa, para conquistar a medalha de ouro, e nós conseguimos isso juntos", acrescentou.

O revezamento colocou em sério risco a busca por Phelps de bater o recorde do compatriota Mark Spitz, que conquistou sete ouros nos Jogos de 1972. A missão parecia perdida quando Jason Lezak começou a última passagem da prova, com o ex-recordista mundial dos 100m Alain Bernard com vantagem considerável para a França.

De forma impressionante, Lezak diminuiu a vantagem nos últimos metros para garantir a vitória dos EUA na batida final, com diferença de apenas 0s08.

Os EUA destruíram o antigo recorde mundial em quase quatro segundos, com 3min08s24, ante os 3min12s23 conseguidos pelo time B do país nas eliminatórias em Pequim.

Perguntado se poderia estar interessado em receber parte do prêmio de 1 milhão de dólares oferecido a Phelps caso ele iguale o recorde de Spitz, Lezak balançou negativamente a cabeça.

"Acho que Michael sabe que não fizemos isso por ele", disse o californiano em entrevista coletiva. "Ele foi apenas parte disso, e nós éramos parte também. Se ele conquistar oito medalhas de ouro ou não, isso não será nossa responsabilidade."   Continuação...