Milan vive momento tenso antes da estréia no Mundial

terça-feira, 11 de dezembro de 2007 11:36 BRST
 

Por Alastair Himmer

YOKOHAMA (Reuters) - Um atacante aborrecido e um técnico com o futuro em jogo geram um clima de tensão no Milan antes da estréia da equipe no Mundial de Clubes da Fifa, quinta-feira, no Japão.

Nem de longe a preparação do Milan tem sido tranquila, apesar do tratamento de estrela recebido pelo time no Japão e de uma série de elogios ao premiado meia brasileiro Kaká.

Os campeões europeus enfrentam o time da casa Urawa Reds numa das semifinais do torneio, na quinta-feira, e o atacante Ronaldo ainda é dúvida para a partida, apesar de ter treinado pela primeira vez nesta terça-feira no Japão.

O brasileiro, que sofreu uma contusão na panturrilha, tem ficado cada vez mais isolado dentro do time, passando a maior parte do tempo no spa do hotel enquanto o restante da equipe treina em Yokohama.

Uma nova especulação de que o Milan quer contratar o ex-técnico do Chelsea José Mourinho para substituir Carlo Ancelotti no fim da temporada piorou ainda mais o clima no clube.

"A tensão e a pressão estão crescendo", disse Massimo Ambrosini, capitão de fato do Milan, uma vez que Paolo Maldini, de 39 anos, quase não entra mais em campo como titular em sua última temporada.

"Seria ótimo levar essa importante troféu do Mundial de Clubes de volta para a Itália com a gente."

O Milan tem um leve favoritismo para conquistar o Mundial, apesar de estar atualmente apenas em 10o lugar no Campeonato Italiano, 19 pontos atrás da líder Inter de Milão.

Na outra semifinal do Mundial, jogam o argentino Boca Juniors e o Etoile Sahel, da Tunísia.