No tênis de mesa, o sucesso vem naturalmente na China

segunda-feira, 11 de agosto de 2008 22:43 BRT
 

Por Simon Rabinovick

PEQUIM (Reuters) - Muito tem sido feito pelos programas governamentais chineses para formar atletas de elite desde a mais tenra idade, mas a perícia no tênis de mesa vem, de longe, de forma muito mais natural para os chineses.

O constante desfile de chineses campeões em nível mundial é uma grande fonte de orgulho nacional, e isso quase sempre acontece naturalmente.

De mesas de concreto e raquetes improvisadas nos vilarejos mais pobres ao clic-clac das bolas de tênis de mesa que são ouvidos nos pátios das escolas ao redor do país, tênis de mesa é, indiscutivelmente, "guo qiu", ou, o esporte nacional.

"Todo mundo é muito bom por aqui. Nem posso te dizer quem está em nosso time olímpico porque, para ser honesto, isso não faz a menor diferença", disse Wu Changshan, 47 anos, dono de restaurante em Pequim.

"Todos têm grande talento nesse nível e nós vamos torcer por eles, não importa quem esteja nos representando", disse.

Só para constar, Wang Hao lidera o desafio entre os homens e Zhang Yining lidera entre as mulheres nos Jogos de Pequim.

Mas o comentário de Wu ressalta o fato de que os jogadores dominam as posições principais do ranking mundial de tênis de mesa.

Tal domínio não tem nada a ver com uma habilidade natural dos chineses para manejar a raquete. Mas, de fato, isso vem de longe, dos tempos da política da Guerra Fria.   Continuação...