Entender o clima da China é vital para vitória no ciclismo

terça-feira, 12 de agosto de 2008 00:07 BRT
 

Por Deborah Charles

PEQUIM (Reuters) - De uma neblina asfixiante a um calor intenso, de chuvas torrenciais a alta umidade, os ciclistas nos Jogos de Pequim rapidamente aprenderam que entender o clima é um barômetro das chances de medalha.

Lançando um diferente tipo de nuvem negra sobre o esporte antes das provas de quarta-feira, os dirigentes informaram, na segunda, que a ciclista espanhola Maria Isabel Moreno se tornou o primeiro caso positivo de doping nos Jogos.

"Não dá para respirar. O ar é pesado e tem a neblina com fumaça", disse Stefan Schumacher, da Alemanha, que chegou a Pequim com o favorito nas duas provas de estrada", disse ele aos repórteres.

"Parece que você está a 3.000 metros, por causa do ar."

Schumacher estava entre os mais de um terço dos atletas que desistiram da prova de estrada de 245 km, partindo do centro histórico de Pequim até a Grande Muralha, alegando não poder vencer o calor, umidade e ar poluído.

No dia seguinte, as mulheres enfrentaram chuva forte e clima frio quando cumpriram o circuito entre duas seções da Grande Muralha. Elas tiveram que sobreviver a quedas por causa do piso molhado em sua rota de 126km.

"Se alguém me perguntasse se eu iria vestir uma capa de chuva em Pequim, eu teria rido", disse a americana Christine Thorburn.