Bernardinho critica organização de treinos em Pequim

terça-feira, 12 de agosto de 2008 11:54 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - Com apenas uma sessão de treinamentos em quadra de uma hora e meia por dia, o técnico da seleção brasileira de vôlei masculino, Bernardinho, está se virando como pode, promovendo sessões de musculação e condicionamento na Vila Olímpica em vez dos tradicionais dois treinos diários de uma hora e trinta minutos.

Segundo o treinador, apesar de a China ter montado estruturas excelentes, a rigidez nos horários previstos de treinamento está impondo dificuldades ao time, que teve pouco tempo para se preparar para a Olimpíada após o quarto lugar na Liga Mundial.

"Isso nunca aconteceu antes em Olimpíada", disse Bernardinho sobre o impedimento imposto pela organização dos Jogos de usar horários de treinamento não aproveitados por outros times.

"Nosso time precisa de treinamento. É um time de operários. A margem de erro nossa é menor que de outras equipes, nosso time, se tiver uma variação milimétrica, a coisa começa a pegar. Nessa fase inicial, seria muito importante uma carga adicional de trabalho", disse Bernardinho.

O treinador brasileiro afirmou que a seleção dos Estados Unidos alugou ginásio para treinamentos, por motivos de segurança, e que a Itália também alugou um espaço para manter o ritmo de treinamentos. Para ele, a organização da Olimpíada deveria prover uma estrutura adequada de treinamento para as equipes.

"Os ginásios são maravilhosos para nós aqui, mas tem que ter uma sensibilidade. Tem ginásio que 17h30 termina a atividade, coisa que poderia ir para 21h, 22h tranquilamente porque não falta gente nesse país para você ter voluntários que permitissem isso", reclama.

Bernardinho fez os comentários após a vitória do Brasil de virada sobre a Sérvia, por 3 sets a 1.

Ele ressaltou o trabalho do ponta Murilo, que substituiu o capitão Giba, poupado por tendinite no ombro direito. "Murilo cumpriu com louvor, foi excelente. Foi consistente em todos os fundamentos, acho que, numa média de time em 7, ele foi 7,5", disse o técnico.

 
<p>Bernardinho critica organiza&ccedil;&atilde;o de treinos em Pequim. O t&eacute;cnico da sele&ccedil;&atilde;o brasileira de voleibol masculino, Bernardinho Rezende, em partida ol&iacute;mpica contra o Egito nos Jogos Ol&iacute;mpicos de Pequim. 10 de agosto. Photo by Sergio Moraes</p>