Tendinite no ombro de Giba é problema para vôlei brasileiro

terça-feira, 12 de agosto de 2008 07:39 BRT
 

Por Alberto Alerigi Jr.

PEQUIM (Reuters) - A ausência por lesão do capitão Giba não impediu a seleção brasileira de vôlei de vencer a Sérvia no segundo jogo em Pequim, nesta terça-feira, mas a tendinite no ombro do melhor jogador da equipe é vista com preocupação pelo técnico Bernardinho.

"Estou preocupado, óbvio. Perder um Giba, só, é complicado", afirmou o treinador da equipe campeã olímpica em Atenas, em 2004, ressaltando a importância do jogador para a equipe.

Giba, com uma tendinite sofrida na véspera no ombro direito, é dúvida para o próximo jogo, contra a forte seleção da Rússia. A inflamação foi sentida pelo jogador durante treinamento e Bernardinho decidiu poupá-lo contra os sérvios para não arriscar piorar o quadro logo no início da Olimpíada.

"Ele sentiu uma dor na parte posterior do ombro direito", acrescentou Bernardinho, após partida em que o Brasil derrotou a Sérvia por 3 sets a 1.

Evitando comentar se Giba participará do jogo contra os russos, o técnico afirmou o jogador passou por ressonância magnética e que não foi identificada nenhuma lesão mais séria.

"Ele acordou muito melhor hoje, mas a dor também pode estar mascarada pelos antiinflamatórios que tomou. Se for só tendinite, ele estará recuperado nos próximos dias", acrescentou o técnico.

No jogo desta terça-feira, Giba permaneceu na área de reservas, mas não se continha e a todo pedido de tempo conversava com os jogadores, mostrando entusiasmo. O capitão chegou a trocar algumas bolas, mas apenas levantamentos, nada de movimentos mais bruscos como cortadas.

Quem entrou no lugar foi Murilo, muito elogiado por Bernardinho e pelo próprio Giba. A tendência, segundo o treinador, é que Murilo continue no lugar do capitão se Giba não se recuperar para a partida contra a Rússia.

Segundo Bernardinho, o jogador já sentiu a dor antes e ela acabou "sumindo" de repente.

(Edição de Pedro Fonseca)