Ginasta norte-americana diz que se deixou levar pelo nervosismo

quarta-feira, 13 de agosto de 2008 05:31 BRT
 

Por Sonia Oxley

PEQUIM (Reuters) - A ginasta Alicia Sacramone admitiu que se deixou envolver pelo nervosismo, o que a levou à queda na trave e depois a ir mal no solo, o que destruiu as chances dos Estados Unidos de chegar ao ouro na prova feminina por equipes da ginástica artística desta Olimpíada, na quarta-feira.

A atleta de 20 anos errou o pé quando aterrisava na trave logo depois da entrada. Na rotação seguinte, arruinou sua rotina de solo ao cair sentada e depois ainda pisar fora do tablado no fim de uma sequência de saltos.

Ela disse que um atraso na sua chamada para começar a trave a atrapalhou.

"Eu estava realmente ansiosa para fazer minha rotina, mas eles me seguraram um pouco. Penso que deixei o nervosismo tomar conta de mim", ela disse aos repórteres, se segurando para não chorar.

"Eu bati bem torto no trampolim. Fiquei com um pé na trave e dei um passo para trás, mas não tinha onde me apoiar -- estava no ar. Acho que foi mesmo um pouco difícil (se recuperar depois da queda). O que me afetou quando fui para o solo."

Seus problemas no solo deram margem a erros menos graves que os de duas de suas companheiras -- Shawn Johnson e Nastia Liukin pisaram fora da linha branca do tablado.

As norte-americanas terminaram 2.375 pontos atrás da campeã China, que totalizou 188.900. A Romênia terminou em terceiro lugar.

Martha Karolyi, a coordenadora técnica da equipe norte-americana, disse que Sacramone -- a que normalmente consola as outras meninas -- é uma pessoa emotiva. E apesar de normalmente conseguir segurar os nervos, desta vez não foi capaz.   Continuação...

 
<p>Alicia Sacramone, dos Estados Unidos, lamenta seu desempenho na disputa por equipes na gin&aacute;stica art&iacute;stica. Com um erro na trave e dois no solo, seu resultado foi determinante na classifica&ccedil;&atilde;o final dos EUA, prata, atr&aacute;s da China.. Photo by Mike Blake</p>