Búlgaro do vôlei deixa time e volta a Sófia para refazer exame

quarta-feira, 13 de agosto de 2008 01:31 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - O capitão da seleção de vôlei da Bulgária foi mandado de volta a seu país para mais testes relacionados a um controle antidoping realizado ainda antes da Olimpíada, disse o porta-voz da Federação Internacional de Vôlei (FIVB) na quarta-feira.

Segundo ele, o médico da equipe declarou que o teste de Plamen Konstantinov está com "valores" muito próximos do limite permitido no antidoping. O médico não especificou a qual limite estava se referindo, e que os testes em Sófia poderiam mostrar se o nível mais elevado era psicológico.

Konstantinov já perdeu a vitória sobre o Japão na terça-feira.

A FIVB divulgou que o médico da equipe, Dinko Zahariev, disse na noite de terça-feira: "Na última amostra de Plamen Konstantinov há valores muito próximos dos limites estabelecidos pelas regras. Pode ser psicológico. Não posso dizer nada. Solicitamos ao laboratório da WADA aqui em Pequim para checar a amostra, mas eles se recusaram."

"Decidimos não arriscar e barramos o jogador. Precisamos fazer o teste de novo e é por isso que ele voltou para a Bulgária."

O regulamento antidoping tem limites máximos para um número de substâncias produzidas naturalmente pelo corpo, como células vermelhas e testosterona. Níveis elevados delas podem ser por conta de doping e levar o atleta a ser pego no exame.