Recordista dos 100 metros, Bolt aproveita bom momento sem festa

quarta-feira, 13 de agosto de 2008 08:45 BRT
 

Por Nick Mulvenney

PEQUIM (Reuters) - O jamaicano Usain Bolt enterrou a reputação de preguiçoso nos últimos dois anos, quando o velocista se tornou um dos melhores corredores do mundo dos 200 metros e o recordista mundial dos 100m.

O corredor de 21 anos, favorito às duas provas de velocidade nos Jogos de Pequim, admite prontamente que houve um período no qual aproveitar um bom momento significava não tirar o máximo de seu indiscutível talento atlético.

"Quando você é jovem, tudo o que você pensa é em se divertir, você não se preocupa realmente com o seu futuro. Mas depois de um tempo no circuito e vendo o que realmente poderia ser feito, isso é o que eu faço para viver, e estou totalmente concentrado nisso. Estou focado agora, eu sei o que quero", afirmou Bolt.

O jamaicano, ex-jogador de críquete e até hoje um grande fã de música e dança, apareceu pela primeira vez com destaque internacional ao conquistar o título mundial junior dos 200m, em Kingston, em 2002.

"Depois do mundial junior, as pessoas diziam 'você é rápido garoto'. Eu tinha apenas 15 anos e eles diziam 'você pode ser um dos grandes"', contou Bolt. "Aquilo não significava muito para mim, mas agora eu sei o que eles estavam falando."

Essas mesmas pessoas aconselharam Bolt a mudar sua atitude. O vice-campeão do mundo tem um agradecimento especial ao técnico Glen Mills, que ajudou Bolt a mudar sua carreira.

"Comecei com o técnico Mills em 2005, e desde aquele momento eu só tenho crescido", disse ele. "Eu comecei devagar, mas agora estou aqui e simplesmente quero continuar no topo agora."

Mills queria que Bolt se dedicasse aos 200m e aos 400m, e o velocista admitiu que o desejo de mudar para os 100m teve como inspiração a falta de vontade de ter de preparar-se para a prova mais longa.

"Eu não tinha muita chance de correr os 100 metros, meu técnico estava me forçando a correr os 400", disse ele. "Acho que foi instinto, eu estou apenas tentando ficar longe dos 400 metros", acrescentou.

Mills disse à Reuters no mês passado que concordava em deixar Bolt correr os 100 metros se ele quebrasse o recorde jamaicano dos 200m, pertencente a Don Quarrie. Bolt respondeu rapidamente e está garantido na disputa olímpica da prova mais veloz do mundo.