Atletas apelam à superstição em busca de força e concentração

quinta-feira, 14 de agosto de 2008 01:59 BRT
 

Por Kirby Chien

PEQUIM (Reuters) - De hip hop a gospel, de valentões a Deus, alguns dos mais altamente treinados atletas se voltam a estranhas estratégias na fase final de preparação para a batalha de suas vidas.

Quando atletas olímpicos são assolados por fantasmas de derrotas do passado ou carregam as aspirações de toda uma nação em seus ombros, frequentemente eles buscam rituais privados, pensamentos e inspirações para clarear suas mentes.

"Eu nunca penso no meu adversário", disse Suleiman Wanjau Bilali, boxeador da categoria até 48kg do Quênia. "Vou pensar em caras fortes, como (Arnold) Schwarzenegger.

Visões do Exterminador do Futuro devem funcionar para pôr para fora o guerreiro escondido em um esporte violento como o boxe, mas pode ser perigoso em outras disciplinas.

"Precisamos estar calmos e em paz", disse Anastassiya Bannova, arqueira do Cazaquistão. "Eu penso em minha mãe e meus avós."

Em uma época em que engenheiros aeroespaciais são contratados para analisar a braçada de um nadador ou posição do braço de um corredor, uma simples rotina pré-competição pode trazer calma interior e confiança.

"Eu sempre queria um uniforme novo e limpo para todo dia que eu corria", disse o velocista americano Carl Lewis, que ganhou nove medalhas olímpicas de ouro.

"Eu tinha sempre que preparar meu uniforme na noite anterior. Este era o meu ritual."   Continuação...