August 14, 2008 / 6:22 AM / 9 years ago

Atletas apelam à superstição em busca de força e concentração

4 Min, DE LEITURA

Por Kirby Chien

PEQUIM (Reuters) - De hip hop a gospel, de valentões a Deus, alguns dos mais altamente treinados atletas se voltam a estranhas estratégias na fase final de preparação para a batalha de suas vidas.

Quando atletas olímpicos são assolados por fantasmas de derrotas do passado ou carregam as aspirações de toda uma nação em seus ombros, frequentemente eles buscam rituais privados, pensamentos e inspirações para clarear suas mentes.

"Eu nunca penso no meu adversário", disse Suleiman Wanjau Bilali, boxeador da categoria até 48kg do Quênia. "Vou pensar em caras fortes, como (Arnold) Schwarzenegger.

Visões do Exterminador do Futuro devem funcionar para pôr para fora o guerreiro escondido em um esporte violento como o boxe, mas pode ser perigoso em outras disciplinas.

"Precisamos estar calmos e em paz", disse Anastassiya Bannova, arqueira do Cazaquistão. "Eu penso em minha mãe e meus avós."

Em uma época em que engenheiros aeroespaciais são contratados para analisar a braçada de um nadador ou posição do braço de um corredor, uma simples rotina pré-competição pode trazer calma interior e confiança.

"Eu sempre queria um uniforme novo e limpo para todo dia que eu corria", disse o velocista americano Carl Lewis, que ganhou nove medalhas olímpicas de ouro.

"Eu tinha sempre que preparar meu uniforme na noite anterior. Este era o meu ritual."

Sem dúvida, Lewis continuaria sendo um dos grandes do esporte se tivesse usado uniformes velhos, amarrotados e mal cheirosos, mas seus hábitos removeram minúsculas distrações em sua preparação.

"Eu estava vestindo os Estados Unidos em meu peito, eu queria estar com a aparência perfeita o tempo todo", disse Lewis.

Os técnicos dos atletas sabem da importância do aspecto psicológico para poder estimular o comprometimento ao treino físico.

"Eu nunca desencorajo (superstição), mas também não encorajo", disse Clive Woodward, técnico do time inglês de rúgbi campeão da Copa do Mundo de 2003.

Nada supera o treinamento, mas cada pequena coisa conta.

Cada membro do time chinês de ginástica masculina usaram no punho uma fina corrente vermelha de um templo para dar sorte quando eles venceram a medalha de ouro por equipes, terça-feira.

O máximo para dar força interior pode vir de mais além.

"Eu ponho tudo nas mãos do Senhor", disse Tricia Flores", saltadora do Belize.

"Eu ouço música gospel sempre que posso para refrescar minha mente e relaxar", ela disse.

Em contraste, o nadador americano Michael Phelps, na busca do recorde de oito medalhas em uma mesma Olimpíada, é conhecido por ouvir hip hop em seus fones de ouvido enquanto caminha para cada prova.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below