Kaká prevê saída de astros se violência continuar na Itália

terça-feira, 13 de novembro de 2007 08:42 BRST
 

MILÃO (Reuters) - Os principais jogadores vão evitar o futebol italiano se a violência dos torcedores e outros escândalos continuarem manchando a imagem do esporte no país, afirmou nesta terça-feira Kaká, meia-atacante do Milan.

Kaká, que desde 2003 defende o Milan, ficou chocado com as cenas de vandalismo que levaram ao cancelamento do jogo de sua equipe contra o Atalanta, em Bergamo, no domingo, apenas aos sete minutos de partida.

Os torcedores do Atalanta tentaram invadir o gramado quebrando uma proteção de vidro após um torcedor da Lazio ter sido morto pela polícia durante briga com torcedores da Juventus. A polícia afirmou que o tiro que matou o torcedor foi acidental.

"Todas estas cenas de violência podem distanciar os principais jogadores da nossa Série A", afirmou o jogador de 25 anos ao jornal italiano Gazzetta dello Sport.

"Os jogadores de nível internacional querem jogar em grandes times, e na Itália estão alguns dos times de maior prestígio no mundo. Mas eles também querem diversão e entusiasmo", acrescentou o meia, que se apresenta nesta terça-feira à seleção brasileira para os jogos contra Peru e Uruguai pelas eliminatórias da Copa do Mundo.

Alguns jogadores importantes já começaram a trocar a Itália por Espanha e Inglaterra após o escândalo de manipulação de resultados de dois anos atrás e a morte de um policial em outra briga de torcidas, em fevereiro deste ano.

"Primeiro a manipulação, depois a morte do policial em Catânia. Agora esta nova tragédia. Um torcedor morreu enquanto estava indo para um jogo", observou Kaká.

"A Itália está perdendo credibilidade. A lista está ficando longa demais."

O Real Madrid passou grande parte da pré-temporada tentando convencer o Milan a vender Kaká, que admitiu ter interesse em uma transferência para o Santiago Bernabéu.   Continuação...

 
<p>Meia-atacante do Milan Kak&aacute; comemora gol em partida contra Shakhtar Donetsk da Liga dos Campe&otilde;es. Photo by Gleb Garanich</p>