Panucci duvida que jogadores esnobem Itália mesmo com problemas

quarta-feira, 14 de novembro de 2007 15:45 BRST
 

FLORENÇA (Reuters) - O defensor da Roma Christian Panucci minimizou as afirmações de que os principais jogadores do futebol mundial vão evitar a Itália se a violência entre torcedores continuar prejudicando a imagem do esporte no país.

Na terça-feira, o meia brasileiro Kaká, do Milan, disse que incidentes como os que sucederam a morte de um torcedor da Lazio na domingo poderiam afastar os grandes jogadores dos clubes italianos.

"Os campeões continuarão vindo como sempre, desde que sejam bem pagos", disse Panucci a repórteres no centro de treinamento da seleção italiana, em Florença, durante a preparação para o jogo de sábado com a Escócia, pelas eliminatórias da Eurocopa de 2008.

O torcedor da Lazio Gabriele Sandri, de 26 anos, foi morto por um policial após uma briga entre torcedores de seu time e da Juventus. A polícia afirmou que o tiro que matou o jovem foi acidental.

Essa foi a segunda vítima fatal do futebol italiano neste ano, após um policial ter sido morto após outra briga entre torcedores, na Sicília, em fevereiro.

O atacante da seleção italiana Luca Toni demonstrou otimismo nas autoridades para combater o hooliganismo.

"Se conseguiram fazer isso em Alemanha e Inglaterra, também podemos conseguir na Itália", disse o jogador do Bayern de Munique.

"As forças da polícia, os dirigentes dos clubes e os jogadores de futebol devem se unir para acabar com os delinquentes que deixam a sociedade refém.

"Juntos nós podemos encontrar uma solução que devolve esse esporte aos torcedores de verdade. Temos que reagir, fazer leis mais severas. Nós queremos outro futebol.

(Por Paul Virgo)