Ferrari aceita fim esportivo de espionagem, mas segue na Justiça

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007 12:32 BRST
 

LONDRES (Reuters) - A Ferrari, atual campeã da Fórmula 1, disse que aceita o fim no campo esportivo do caso de espionagem da McLaren, mas vai continuar na Justiça contra os pessoalmente envolvidos no esquema.

"A Ferrari aceita as propostas do presidente da FIA de cancelar a reunião geral extraordinária do Conselho Mundial de Automobilismo... desta forma levando o caso a uma conclusão do ponto de vista esportivo", afirmou um comunicado da equipe.

"Entretanto, está confirmado que as ações criminais em andamento na Itália e as civis na Inglaterra ainda continuam", acrescentou a Ferrari.

A McLaren pediu desculpas públicas à equipe rival, à Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e aos fãs do esporte, nesta quinta-feira, após ter reconhecido que dados da Ferrari foram mais utilizados pela escuderia do que divulgado inicialmente.

A escuderia também propôs congelar o desenvolvimento de três sistemas que estariam no carro de 2008, após suspeitas da FIA de que o novo modelo pudesse conter inspiração em dados da Ferrari.

O presidente da FIA, Max Mosley, em resposta ao pedido de desculpas, anunciou o cancelamento da reunião de 14 de fevereiro marcada para avaliar o carro de 2008 da McLaren. A equipe poderia sofrer novas punições se ficasse comprovado o uso de dados da equipe italiana.

A McLaren foi multada em 100 milhões de dólares e excluída do Mundial de Construtores de 2007 por seu envolvimento no escândalo de espionagem que afeta a categoria desde julho.

A Ferrari entrou na Justiça britânica com processos contra Coughlan e sua esposa, Trudy, que teriam copiado os documentos, e também tem um processo criminal na Itália contra seu ex-funcionário Nigel Stepney.

Stepney é acusado de sabotagem e por passar os segredos do time italiano para a McLaren.

(Reportagem de Alan Baldwin)