Repórteres Sem Fronteiras faz protesto contra Olimpíada na China

segunda-feira, 15 de outubro de 2007 16:46 BRST
 

LAUSANNE, Suíça (Reuters) - O grupo Repórteres Sem Fronteiras, que luta pela liberdade de imprensa, protestou nesta segunda-feira nos arredores do museu Olímpico de Lausanne contra o que eles afirmam ser uma violação dos direitos humanos na China antes dos Jogos Olímpicos de 2008.

Cerca de 15 ativistas do grupo sediado em Paris seguraram cartazes em preto e vermelho mostrando os cinco anéis olímpicos na forma de algemas. Eles gritavam palavras de ordem convocando o Comitê Olímpico Internacional (COI) a tomar uma posição sobre o assunto.

"Hoje na China não há liberdade política, religiosa, sindical e de imprensa", disse o fundador e secretário-geral do grupo, Robert Menard, a jornalistas.

"Há milhares de prisioneiros políticos e milhares de execuções a cada ano. Tudo isso é uma oposição completa ao espírito olímpico."

Menard disse que sua organização, também conhecida pela sigla RSF, organizou o protesto para coincidir com a abertura nesta segunda-feira do 17o Congresso do Partido Comunista Chinês e de um encontro do COI.

O museu, às margens do lago Leman na Suíça, é administrado pelo COI, que também tem sede em Lausanne.

Em um comunicado sobre o protesto, a RSF disse que a China impõe restrições a todos os setores da mídia, incluindo jornais, televisão, rádio e Internet, assim como contra jornalistas estrangeiros.

Menard fez um apelo para que o presidente do COI, Jacques Rogge, cumpra a promessa feita em 2001, quando Pequim foi escolhida como sede dos Jogos, em que afirmou que haveria melhoras na situação dos direitos humanos na China.

Autoridades do COI disseram que nas negociações com o governo chinês lembraram rotineiramente as obrigações do país sede em respeitar os direitos humanos.

(Por Vincent Fribault)