Após 3 bronzes, judô quer trabalhar emocional por ouro

sexta-feira, 15 de agosto de 2008 10:35 BRT
 

Por Marcelo Teixeira

PEQUIM (Reuters) - O chefe da equipe brasileira do judô na Olimpíada de Pequim, Ney Wilson, avaliou como boa a participação da seleção nos Jogos, mas acredita que há espaço para melhorar, principalmente no lado emocional, visando o lugar mais alto do pódio.

A equipe de judô encerrou nesta sexta-feira sua participação na Olimpíada, depois de sete dias de disputas no ginásio da Universidade de Ciência e Tecnologia de Pequim, levando para casa três medalhas de bronze, duas no masculino e uma no feminino.

Wilson afirmou que na quantidade de medalhas foi o que a Confederação Brasileira de Judô havia traçado como meta, mas admitiu que faltou o ouro em uma das três.

"Com certeza o resultado foi bom. Algumas munições que a gente tinha nós não acertamos, mas isso era esperado. A meta de acertar três tiros nós acertamos, faltou ser no centro do alvo", comparou o chefe da equipe em entrevista após a última luta do pesado João Gabriel Schlittler, que perdeu a final da repescagem e deixou escapar a chance do quarto bronze.

"Nas circunstâncias de competição para as medalhas são pequenos detalhes que importam, e talvez tenha nos faltado esses detalhes", acrescentou.

Entre eles, ele acredita que pode estar a parte emocional, de saber lidar melhor com os momentos cruciais dos grandes torneios, apesar de o Brasil ter registrado um ótimo desempenho no Mundial do ano passado no Rio, emplacando três campeões mundiais (João Derly, Tiago Camilo e Luciano Corrêa).

"Temos que olhar a parte emocional, a parte psicológica, avaliar isso profundamente para ver como podemos atuar de maneira positiva para blindar melhor a equipe nesse aspecto", disse Wilson.

"Acho que esse é um aspecto que talvez tenha alguns pontos que a gente possa corrigir. Mas no quesito da preparação foi tudo como planejado, os próprios atletas reconhecem isso".   Continuação...

 
<p>Judoca Jo&atilde;o Gabriel Schlittler em luta contra estoniano Martin Padar na categoria pesado (acima dos 100 kg), nesta sexta-feira.  Jo&atilde;o Gabriel perdeu na repescagem e encerrou a participa&ccedil;&atilde;o do jud&ocirc; brasileiro nos Jogos de Pequim. Photo by Kim Kyung-Hoon</p>