PERFIL-Tri de Roland Garros, Guga foi o maior tenista do Brasil

terça-feira, 15 de janeiro de 2008 18:02 BRST
 

Por Tatiana Ramil

SÃO PAULO (Reuters) - Vinte títulos em simples, oito em duplas, 43 semanas como líder do ranking mundial. Gustavo Kuerten obteve conquistas sem precedentes na história do tênis brasileiro e difíceis de serem superadas.

Nenhum outro tenista do país chega perto dos números de Guga. Entre os melhores, segundo dados da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP), estão Thomaz Koch, com um título e o 24o lugar no ranking, em 1974, e Luiz Mattar, sete títulos e 29o como melhor colocação, em 1989.

Guga, que fora das quadras é surfista, músico e torcedor fanático do Avaí, conquistou seu primeiro título em 1997, e foi logo em um Grand Slam. Ele levantou a taça de Roland Garros aos 20 anos, derrotando surpreendentemente três ex-campeões -- Thomas Muster, Yevgeny Kafelnikov e Sergi Bruguera.

Em 1998, Guga conquistou os campeonatos de Mallorca e Stuttgart, e no ano seguinte venceu em Roma e em Monte Carlo, todos no saibro, seu piso favorito.

O ano de 2000 foi marcante para o brasileiro. Foram cinco títulos em sete decisões, incluindo o bicampeonato em Roland Garros.

De novo Guga teve que passar por Kafelnikov, e na final enfrentou o sueco Magnus Norman, um de seus principais rivais à época. O jogo foi acompanhado por muitos brasileiros, que chegaram a soltar fogos no Brasil após a vitória do catarinense, gesto comum para o futebol, mas inédito para o tênis.

No fim daquele ano, veio o ponto alto da carreira de Guga, que teve nas mudanças de visual do cabelo -- de raspado a trancinhas -- uma das marcas registradas de sua carreira.

Na Masters Cup de Lisboa, o brasileiro venceu os norte-americanos Pete Sampras e Andre Agassi em partidas seguidas, conquistou o torneio e terminou o ano como o líder do ranking.   Continuação...