Em busca do 1o ponto no ano, Barrichello rejeita aposentadoria

terça-feira, 16 de outubro de 2007 18:54 BRST
 

Por Camila Moreira

SÃO PAULO (Reuters) - Rubens Barrichello corre o risco de terminar pela primeira vez uma temporada da Fórmula 1 sem marcar nenhum ponto. Ele não esconde a grande decepção em sua segunda temporada com a Honda, mas descarta uma aposentadoria.

Aos 35 anos, sendo 15 na Fórmula 1, Barrichello pode encerrar o ano de 2007 tendo apenas um nono lugar na Inglaterra como melhor resultado, se não conseguir performance superior no Grande Prêmio do Brasil, domingo.

"Este ano foi e está sendo de uma dificuldade muito grande. É uma equipe que investe muito e não conseguiu fazer com que tudo que trouxe para o carro se desenvolvesse. Foi um ano muito abaixo das expectativas", disse ele em entrevista à imprensa nesta terça-feira.

O piloto está tão decepcionado com o carro que sua resposta à pergunta sobre se o fato de a corrida de Interlagos ser disputada no sentido anti-horário é mais cansativo foi: "meu carro é tão lento que não cansa".

As expectativas de Barrichello só fizeram diminuir desde 2006, quando em seu primeiro ano na Honda ele admitia que havia dificuldades mas chegava a falar em subir ao pódio no Brasil. Agora, marcar um ponto parece ser algo praticamente inatingível.

"Para mim, marcar ponto aqui seria uma vitória. Terei que contar com um pouco de tudo para marcar pontos, mas no Brasil favorece", afirmou.

Barrichello explicou que ainda tem mais um ano de contrato com a Honda, e que por enquanto ainda não pensar em parar.

"As pessoas acham que agora estou só marcando presença, mas faço porque gosto. O dia que eu entrar por dinheiro prometo que vou parar", disse ele.

"Espero que (em 2008) eu tenha um carro competitivo, porque esse ano foi de uma falta de qualidade imensa. Aí vou decidir se fico, se vou para outra equipe ou se paro".

A melhor temporada de Barrichello na F1 foi em 2004, quando somou 114 pontos e terminou o campeonato na segunda colocação com a Ferrari. Ele também foi vice-campeão em 2002, ainda com a equipe italiana, pela qual correu entre 2000 e 2005. Nas duas vezes ele viu o companheiro de equipe Michael Schumacher terminar como campeão.

 
<p>Rubens Barrichello corre o risco de terminar pela primeira vez uma temporada da F&oacute;rmula 1 sem marcar nenhum ponto. Ele n&atilde;o esconde a grande decep&ccedil;&atilde;o em sua 2a temporada com a Honda, mas descarta se aposentar. Foto de Barrichello com Felipe Massa, em S&atilde;o Paulo, 16 de outubro. Photo by Paulo Whitaker</p>