Argentina convoca Bottinelli para jogo contra o Brasil

segunda-feira, 16 de junho de 2008 16:06 BRT
 

BUENOS AIRES (Reuters) - O técnico da seleção argentina, Alfio Basile, chamou o defensor Jonhathan Bottineli para substituir Martin Demichelis, que está suspenso, para a partida de quarta-feira contra o Brasil pelas eliminatórias sul-americanas da Copa do Mundo de 2010, na África do Sul.

Demichelis, zagueiro do Bayern de Munique, recebeu o segundo cartão amarelo na partida em que a Argentina empatou com o Equador em 1 x 1, no estádio Monumental de Nunez, em Buenos Aires.

"Me sinto mal porque estou perdendo a partida contra o Brasil, que é especial, o clássico das eliminatórias", disse Demichelis depois da partida.

Bottinelli, zagueiro do San Lorenzo, se juntou ao elenco que na segunda-feira treinou de portas fechadas na sede esportiva da Associação de Futebol Argentino (AFA), em Ezeiza.

O técnico Basile, que lamentou a perda de Demichelis porque ele é "um jogador importante e necessário para a equipe", também pode ter outras ausências contra o Brasil, que no fim de semana perdeu por 2 x 0 em sua visita ao Paraguai.

O volante Javier Mascherano sofreu uma forte pancada na perna direita e Juan Sebastian Verón, um dos melhores da equipe no primeiro tempo contra o Equador, terminou a partida com uma contratura muscular.

O médico do elenco argentino, Homero D'Agostino, disse que Mascherano "está evoluindo bem e faremos o possível para que esteja pronto para a partida". Sobre Verón, apontou que "é mais difícil que jogue" contra o Brasil.

A Argentina, segunda colocada nas eliminatórias com 10 pontos, três a menos que o líder Paraguai, viajará na terça-feira ao Brasil.

A partida, que será disputada em Belo Horizonte, passou a ser primordial para o técnico e para os jogadores argentinos, que sonham com uma vitória sobre o time dirigido por Dunga em busca da vingança pela final da última Copa América, vencida em 2007 pelos brasileiros por 3 x 0 na Venezuela.

"Agora, mais do que nunca temos que ganhar do Brasil", disse o atacante Lionel Messi depois do empate com o Equador.

(Reportagem de Luis Ampuero)