16 de Agosto de 2008 / às 10:16 / em 9 anos

Diego é favorito e Daiane tem nova chance nas finais do solo

Por Sonia Oxley

PEQUIM (Reuters) - Atual campeã mundial no individual geral da ginástica artística, a norte-americana Shawn Johnson vai tentar amenizar, no domingo, a frustração de não ter alcançado o mesmo título na Olimpíada de Pequim, quando voltar ao tablado na disputa pelo ouro do solo. Na mesma prova, estará a brasileira Daiane dos Santos.

Ainda pelo Brasil, o bicampeão mundial do solo masculino Diego Hypólito é o favorito a conquistar a primeira medalha da ginástica do país em Jogos Olímpicos, enquanto Jade Barbosa classificou-se em sétimo lugar para a final do salto.

A disputa feminina do solo não será fácil, com a presença da também norte-americana Nastia Liukin, que deixou Johnson para trás na prova da “ginasta mais completa”, e a própria Daiane, 5a colocada em Atenas-2004.

A brasileira terá sua segunda chance em Olimpíada, sem estar machucada como há quatro anos. A gaúcha, campeã mundial do solo em 2003, quer uma medalha -- “não importa qual”. Outras candidatas a medalha são a romena Sandra Izbasa e a chinesa Cheng Fei.

No salto, Jade Barbosa terá adversárias muito fortes. A chinesa Cheng estará também nessa final. Ela, aliás, já dá nome a um dos movimentos mais difíceis de se executar, com duas piruetas e meia -- um desafio para a brasileira em seu segundo salto. Também concorrem a medalha, pelo menos teoricamente, a sul-coreana Hog Um-jong e a norte-americana Alicia Sacramone -- que tentará se redimir de vexame na trave, durante a prova por equipes.

Diego Hypólito assume a responsabilidade e se diz tranquilo para a disputa final do solo, do qual é especialista. Seus grandes adversários são o romeno Marian Dragulescu e o espanhol Gervasio Deferr.

GUERRA NO SOLO

A vivacidade e o charme de Shawn Johnson são as armas que a garantiram no topo da prova da “ginasta mais completa” do último Mundial. Em Pequim, para tentar o ouro do solo, ainda conta com mais consistência em sua coreografia, que muitas vezes ficou atrás da performance mais criatividade da chinesa Cheng Fei.

No geral por aparelhos, Liukin teve a mesma nota no solo que Johnson. Da romena Sandra Izbasa, os jornalistas especializados destacam a elegância, e da brasileira Daiane dos Santos, o ritmo.

No salto, a tricampeã mundial Cheng teve a maior nota na qualificação para a final de Pequim. Os chineses estão contando com ela para um quarto ouro na ginástica desta Olimpíada.

Alicia Sacramone, que falhou na trave e no solo e destruiu o sonho norte-americano por equipes, terá chance de redenção no salto. Para ela, Cheng é a ginasta a ser batida. “Ela é uma admirável saltadora. A mais dura adversária.”

DIEGO FAVORITO

A final masculina do solo é uma das poucas em que os chineses não aparecem como candidatos a medalha. O favorito é Diego Hypólito, com dois títulos mundiais e uma série muito forte -- o brasileiro foi o melhor na classificação.

Ele disse que deixaria para a última hora a definição de qual série iria apresentar na luta pelo ouro. Esteve treinando a mais difícil, com uma pirueta e meia na terceira passada (em vez de meia), mais o “Hypólito” (duplo twist carpado). Mas pode fazer uma série mais fácil se perceber que será possível não arriscar.

Na classificação, o romeno Marian Dragulescu, prata olímpica em 2004, ficou a apenas 0.025 da nota do brasileiro -- a mais alta. “A única coisa que falta na minha carreira é um ouro olímpico e essa é minha meta aqui”, disse o ginasta romeno, seis vezes campeão mundial em salto e solo.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below