COI cassa medalha de lutador sueco que atirou o bronze no chão

sábado, 16 de agosto de 2008 09:21 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - O Comitê Olímpico Internacional anunciou neste sábado que cassou a medalha de bronze do lutador sueco Ara Abrahamian, por seu gesto antidesportivo de jogar a medalha no chão.

Abrahamian recusou o bronze logo após de descer do pódio, protestando contra decisão da arbitragem de sua semifinal contra o italiano Andrea Minguzzi, na categoria 84kg, que o tirou da disputa pelo ouro. O lutador foi embora e anunciou a aposentadoria do esporte.

O COI desclassificou o atleta, tirou sua medalha e também cassou sua credencial olímpica. A pedido do COI, o Comitê Olímpico Sueco deverá aplicar a sanção, que priva o atleta de acessar a Vila Olímpica e todos os locais de competição.

Por seu lado, o técnico de Abrahamian, Leo Myllari, declarou que a derrota de seu atleta na semifinal foi resultado de "política".

O COI disse que entende a frustração que o lutador deve ter sentido sobre a decisão da arbitragem, mas seu protesto e o fato de não ter se desculpado eram inaceitáveis.

"A cerimônia de premiação é um ritual altamente simbólico. Qualquer quebra de regra por parte de atleta, principalmente de um medalhista, é um insulto a si mesmo e um insulto para os outros atletas e para o movimento olímpico. É contrário também ao fairplay", disse o COI.

"Deve ser observado que, na frente da comissão disciplinar, o atleta nunca expressou arrependimento nem pediu desculpas por suas ações."

O lutador sueco, prata olímpica em Atenas, teve de ser contido por seus companheiros de equipe quando houve uma onda de desacordo com a decisão dos juízes na semifinal, que favoreceu o italiano Andrea Minguzzi, que seguiria para a busca do ouro.

Abrahamian gritou com o árbitro e os juízes, que então se levantaram de suas cadeiras para se reunir e discutir a questão.

Ele então se debateu contra o árbitro que o segurou pelo braço, virou e saiu. Os torcedores suecos vaiaram alto a decisão dos juízes, que deixaram a arena. O técnico sueco Myllari disse, na hora: "É tudo política."