Presidente da Bolívia ataca nova proibição da Fifa à altitude

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007 10:36 BRST
 

LA PAZ (Reuters) - O presidente da Bolívia, Evo Morales, criticou a decisão da Fifa de proibir partidas de futebol em cidades com mais de 2.750 metros de altitude sem que haja climatização adequada.

"Quero expressar minha surpresa com esta decisão da Fifa. Isso é discriminação... contra as pessoas que vivem na altitude", disse Morales à agência de notícias estatal ABI, após disputar partida de futebol com policiais em Laz Paz, que fica 3.600 metros acima do nível do amor.

"Não é certo que eles não compreendam a situação de Potosí, Oruro ou La Paz", acrescentou Morales, referindo-se a outras cidades andinas com importantes equipes nacionais.

A Fifa anunciou o novo veto à altitude no sábado. A entidade determinou que os jogadores precisam de um tempo suficiente de adaptação para jogar acima de 2.750 metros, mas não determinou qual seria esse período.

Nesta ano a Fifa já havia proibido partida em cidades acima de 2.500 metros, uma decisão que causou muitas reclamações por parte da Bolívia e outros países sul-americanos.

A entidade depois revogou a medida, cedendo a uma intensa campanha liderada por Morales, que incluiu uma partida de futebol disputada pelo presidente e seus assessores contra uma equipe universitária a mais de 5.000 metros de altitude.

(Por Helen Popper)