18 de Agosto de 2008 / às 06:52 / em 9 anos

Fernanda e Isabel garantem medalha inédita para a vela do Brasil

PEQUIM (Reuters) - As brasileiras Fernanda Oliveira e Isabel Swan conseguiram um resultado inédito para o Brasil, ao conquistar a primeira medalha olímpica feminina da vela brasileira.

<p>Fernanda Olivera e Isabel Swan ao receberem a medalha de bronze na vela REUTERS. Photo by Pascal Lauener</p>

Com a vitória na segunda-feira na regata da medalha, em que os pontos perdidos valem o dobro, a dupla entrou para a história ao garantir o bronze da classe 470 nos Jogos de Pequim.

As duas comemoraram muito ainda dentro do barco e se jogaram na água, enquanto os membros da equipe brasileira abriam uma bandeira do Brasil no barco de apoio.

“Ontem foi um dia muito difícil, não teve regata, a gente só treinou. Era uma ansiedade só. Para botar a mão na prata fica para a próxima. A gente está curtindo esta e a idéia agora é pensar com calma para ver como vai ser a próxima”, disse Fernanda à televisão.

Esta foi a sexta medalha do Brasil nos Jogos de Pequim, após um ouro e um bronze na natação e três bronzes no judô, e apenas a segunda entre as mulheres -- Ketleyn Quadros garantiu o terceiro lugar no judô.

Com essa conquista na marina de Qingdao, a vela empata com o judô como os esportes que mais medalhas deram ao Brasil em Jogos até o momento. Após os três bronzes conquistados em Pequim, o judô havia chegado a 15 medalhas. A vela agora garantiu o mesmo número, e o atletismo vem em seguida com 13.

Na classificação geral, as brasileiras somaram 60 pontos perdidos e mantiveram a terceira colocação, com a qual avançaram para a disputa decisiva.

As australianas Elise Rechichi e Tessa Parkinson ficaram com o ouro, com 43 pontos perdidos, e a prata foi para as holandesas Marcelien de Koning e Lobke Berkhout, com 53.

A dupla holandesa precisava de uma vitória na regata da medalha e que as australianas ficassem em último, mas não chegaram perto disso. Elas terminaram a regata decisiva em quinto, enquanto as australianas -- com 22 e 21 anos e as mais jovens da delegação de vela de seu país -- chegavam em nono.

Esse foi o segundo ouro seguido para a Austrália no mesmo dia, já que algumas horas antes Nathan Wilmot e Malcolm Page haviam conquistado o ouro no 470 masculino.

Fernanda e Isabel já tinham obtido o melhor resultado feminino brasileiro na história da classe 470 com a quarta posição no Campeonato Mundial de 2006, também disputado na China, onde foi garantida a vaga olímpica para o Brasil, na classe.

Fernanda competiu em Sydney-2000 e Atenas-2004, mas considera que chegou mais bem preparada para os Jogos de Pequim e afirma que velejar é a prioridade em sua vida. Para Isabel, que aos 14 anos já competia ao lado do pai na classe Tornado, esta foi a primeira Olimpíada.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below