Biondi dá aulas e curte a família. Pode ser o modelo para Phelps

segunda-feira, 18 de agosto de 2008 00:01 BRT
 

Por Ken Wills

PEQUIM (Reuters) - Quando Michael Phelps decidir "pendurar o maiô", pode escolher Matt Biondi como exemplo.

Para Biondi, três vezes campeão olímpico que somou 11 medalhas olímpicas e 12 recordes mundiais, os aplausos das multidões já estão bem longe. Como Phelps, que somou oito ouros em uma Olimpíada só -- em Pequim --, para Biondi tudo é uma questão de natação, não de glamour.

"Eu não me sentia bem sendo famoso", disse Biondi. "Nunca fui daqueles que adora multidões e badalações. Mais que tudo, sou mais um fazendeiro."

Após ganhar um ouro em revezamento nos Jogos Olímpicos de Los Angeles-1984, Biondi ganhou cinco ouros nos Jogos de Seul-1988. Ele era o próprio jovenzinho americano: alto, bonito e carismático.

Biondi ganhou dois ouros e uma prata em Barcelona-1992, antes de passar a jogar pólo aquático e a dar palestras motivacionais.

"Em 1990, eu estava no máximo fisicamente... Estava ficando velho -- e tinha problemas de ombro, então fazia fisioterapia... Então, depois de minha última prova, tirei o maiô e parti para outra", disse Biondi, 42 anos, em uma entrevista.

Oito anos atrás, ele se formou e começou a ensinar em um pequeno colégio particular em Waimea, no Havaí, em uma área de ranchos com população de 8.000 habitantes, o que lhe permitiu encontrar o equilíbrio entre trabalho e vida familiar, com a mulher e três crianças.

"Eu queria muito esta vida, porque não gostava de ser visto apenas como um atleta olímpico", disse Biondi. "Queria uma nova profissão, e não uma em que você foi colocado por causa da natação."   Continuação...