Maradona pede maior segurança após nova onda de violência

segunda-feira, 17 de março de 2008 10:29 BRT
 

BUENOS AIRES (Reuters) - Diego Maradona disse que o problema da violência no futebol argentino, que causou a morte de dois torcedores e a prisão de 183 pessoas no fim de semana, só será resolvido com um aumento da segurança nos estádios do país.

"A violência se resolve tendo segurança, porque a insegurança está em todos os lados", disse Maradona. "Não vamos colocar a culpa no futebol. Aqui vemos um morto ali, outro morto lá (...) a insegurança é o que dói, não somente a morte no futebol", acrescentou.

O ex-capitão da seleção argentina se referiu especificamente à morte de um jovem torcedor do Vélez Sarsfield, de 21 anos, que foi assassinado com um tiro enquanto seguia para uma partida de sua equipe no estádio do San Lorenzo.

"Vamos ver um espetáculo esportivo e é suspenso por uma morte", afirmou. "Isso é terrível. Se os ingleses terminaram com a violência, porque não podemos acabar também? Os "hooligans" eram piores do que os nossos, se embebedavam e matavam", acrescentou.

Na sexta-feira, uma jovem morreu vítima de um tiro na cabeça antes de uma partida regional na cidade de Salta, no norte do país.

No sábado, outra jovem, de 17 anos, foi ferida com uma arma branca após uma partida de seu time, o Colón de Santa Fe, contra o Argentinos Juniors

No domingo, um suposto torcedor "barrabrava" do Boca Juniors foi internado no hospital após uma briga de torcidas nas adjacências do estádio "Bombonera", de onde partiriam para a partida contra o Huracán no estádio do Argentinos Juniors.

Após a briga, 183 pessoas foram presas.

Maradona falou com jornalistas antes de embarcar para a Bolívia, onde disputará uma partida amistosa em La Paz, a 3.600 metros de altitude, com o presidente boliviano, Evo Morales.

O jogo será um protesto contra a decisão da Fifa de proibir partidas das eliminatórias da Copa do Mundo acima de 2.500 metros de altitude.

(Reportagem de Luis Ampuero)

 
<p>O ex-jogador argentino de futebol Diego Maradona fala no pal&aacute;cio presidencial em La Paz, no domingo.Maradona disse que o problema da viol&ecirc;ncia no futebol argentino, que causou a morte de dois torcedores e a pris&atilde;o de 183 pessoas no fim de semana, s&oacute; ser&aacute; resolvido com um aumento da seguran&ccedil;a nos est&aacute;dios do pa&iacute;s. Photo by David Mercado</p>