Ministério dá voz a dirigente processado ao lançar Timemania

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008 20:53 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Em seu comunicado sobre o lançamento da Timemania, loteria que ajudará os clubes a sanear suas dívidas com a União, o Ministério do Esporte incluiu declarações do ex-deputado e presidente do Vasco Eurico Miranda, denunciado pela CPI do Futebol, em 2001, por irregularidades em sua administração.

Único dirigente mencionado na nota do ministério, Eurico Miranda foi condenado em primeira instância, em maio do ano passado, a 10 anos de prisão, em regime fechado, por crime contra a ordem tributária e não recolhimento de contribuição previdenciária. O ex-deputado recorreu, mas o recurso ainda não foi apreciado.

Eurico aparece no comunicado fazendo uma ressalva à Timemania, que em sua opinião resolve parte dos problemas dos clubes brasileiros.

"Um outro (problema) fundamental será encaminhado quando tivermos aprovada a lei que beneficia os clubes que formam atletas", diz Eurico na nota.

Além de Eurico Miranda, o informe do Ministério do Esporte só cita declarações do titular da pasta, Orlando Silva, da presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Coelho, e da deputada federal Manuela D'Ávila, da Frente Parlamentar do Esporte, todos destacando os benefícios da nova loteria.

(Reportagem de Mair Pena Neto)