Busca de Hamilton pelo título relembra sofrimento de Mansell

quinta-feira, 18 de outubro de 2007 13:19 BRST
 

Por Alan Baldwin

SÃO PAULO (Reuters) - Lewis Hamilton tinha apenas um ano de idade quando a Fórmula 1 viveu a última disputa tripla pelo título da temporada.

O britânico de 22 anos, que pode se tornar o primeiro estreante a conquistar o título mundial e ainda ocupar o posto de mais jovem campeão na corrida de domingo em Interlagos, não vai querer, no entanto, lembrar da disputa de 1986.

As semelhanças entre a situação do piloto da McLaren e a do compatriota Nigel Mansell, que estava na Williams, certamente não seriam positivas para Hamilton.

Ele lidera o Mundial com quatro pontos de vantagem para o companheiro de equipe e rival declarado Fernando Alonso. Kimi Raikkonen, da Ferrari, tem desvantagem de sete pontos.

Em 1986, Mansell também liderava a competição à frente do companheiro Nelson Piquet, e o francês Alain Prost era o terceiro na briga pelo título.

Como Alonso, Piquet era bicampeão mundial. E como Alonso, ele acusava a equipe britânica de favorecer o piloto da casa.

Mansell viajou para Adelaide em outubro para a última prova da temporada, o Grande Prêmio da Austrália, com seis pontos de vantagem sobre Prost e precisando chegar apenas em terceiro para ser campeão.

Ele estava confortavelmente em terceiro, a 18 voltas do final, quando seu pneu traseiro esquerdo estourou a 300 quilômetros por hora. Ele abandonou a corrida e deixou a briga pelo título.

A Williams então chamou Piquet, que estava na liderança, para uma problemática troca de pneus, e Prost acabou vencendo a corrida e levando o título pela McLaren.

"Até hoje não consegui acreditar da forma que perdi o campeonato de 1986", disse Mansell, campeão de 1992, numa autobiografia datada de 1995.