China vira potência no vôlei de praia em quatro anos

segunda-feira, 18 de agosto de 2008 01:59 BRT
 

Por Jane Barrett

PEQUIM (Reuters) - O vôlei de praia da China saiu do nada para se tornar uma potência no curto espaço de quatro anos, provando que, quando os czares do esporte da China põem alguma coisa na cabeça, eles normalmente encontram um jeito de alcançá-la.

A China foi nona no evento feminino de Atenas-2004 -- os homens nem ao menos se classificaram para a Olimpíada. Então, foi decidido que iriam fazer de tudo para mostrar uma performance melhor em Pequim.

Na terça-feira, duas duplas femininas com apenas uma atleta com experiência de outra Olimpíada vão se enfrentar nas semifinais do esporte, assegurando à nação anfitriã no mínimo a medalha de prata.

"É bem interessante. O programa chinês levou o esporte do nada para o nível da medalha de ouro em quatro anos", disse a jogadora norte-americana Elaine Young, depois de perder para Zhang Xi e Xue Chen.

A versão praia do vôlei é relativamente nova em um país onde biquínis eram considerados pornográficos até tão recentemente como os 1980.

Tian Jia, 27 anos, jogou em Sydney-2000 e Atenas-2004, mas nunca em nível que pudesse assustar forças como Brasil e Estados Unidos.

Quatro anos se passaram e a China tem duas duplas femininas entre as quatro melhores e uma masculina em quinto, levando pessoas a falar em um "ABC do vôlei de praia": América, Brasil e China.

"Os chineses estão cada vez mais interessados e amam o vôlei de praia", disse Zhang, de 23 anos. "Até minha avó gosta."

Certamente as multidões na arena do Chaoyang Park já estão entendendo mais as regras com o passar dos Jogos Olímpicos.

"Acredito que haverá uma histórica explosão do vôlei de praia", disse Xue, a mais nova das atletas na competição, com 19 anos. "O fato de tantos espectadores terem vindo aqui vai ajudar no desenvolvimento do esporte."