19 de Agosto de 2008 / às 02:16 / em 9 anos

Michael Phelps tenta se adaptar à vida de celebridade

<p>O nadador Michael Phelps posa, com exclusividade, para a capa da edi&ccedil;&atilde;o de agosto da revista Sports Illustrated com suas oito medalhas de ouro, a maior cole&ccedil;&atilde;o jamais conquistada por um atleta em uma &uacute;nica edi&ccedil;&atilde;o dos Jogos. Photo by Reuters (Handout)</p>

Por Juliana Linden

PEQUIM (Reuters) - Michael Phelps se movimenta como um golfinho nas águas, mas, quando volta à terra firme, ele pode ser uma presa fácil.

Ao estabelecer uma conquista sem precedentes, ganhando oito medalhas de ouro em Pequim, Phelps se tornou, instantaneamente, um dos mais conhecidos esportistas do mundo e sua vida nunca mais voltará a ser a mesma.

O americano estava perto da exaustão apor nadar 17 provas em nove dias, em Pequim, mas vai precisar de ainda mais perseverança para vencer as próximas semanas.

Ele já tem sido inundado com telefonemas, mensagens, entrevistas e compromissos de patrocinadores.

Ele recebeu uma ligação do presidente norte-americano George W. Bush, que lhe pediu que desse um abraço na mãe, e recebeu entre 4.000 e 5.000 mensagens em seu Blackberry.

O nadador de 23 anos conseguiu comemorar o sucesso com um calmo jantar com sua mãe e irmã.

Phelps pediu um cheeseburger e não tomou uma única gota de champagne ou qualquer outra bebida alcoólica. “Isso é tudo que eu queria fazer, estar com minha mãe e minha irmã e ver alguns amigos que vieram até aqui para torcer por mim”, disse Phelps.

“Só quero relaxar e me divertir, ficar sentado e não fazer nada.”

No dia seguinte, Phelps estava de volta à ação, não na piscina, mas sendo arrastado por Pequim por seus seguranças.

Ele gastou uma hora atendendo a jornalistas em uma entrevista coletiva organizada por um de seus principais patrocinadores, a Visa, e depois, outra hora dando entrevistas exclusivas para veículos de imprensa selecionados pelos organizadores em um palácio chinês de 120 anos.

“Eu não sei onde estou indo ou o que vou fazer, só vou indo em frente”, disse o nadador à Reuters.

AGENDA PESADA

Apesar de ser o candidato óbvio para levar a bandeira dos Estados Unidos na cerimônia de encerramento dos Jogos, no domingo, Phelps revelou que deixará Pequim mais cedo para estar em Londres, sede da próxima Olimpíada, em 2012, para o lançamento oficial do evento.

Ele terá pela frente muitos compromissos em sua agenda internacional no próximo mês, mas ficará realmente ocupado quando voltar para os Estados Unidos.

Ele pode esperar uma parada em cada uma das maiores estações de TV e uma recepção ainda mais majestosa quando voltar para Baltimore, sua cidade natal.

O Baltimore Ravens quer fazer uma festa para ele em seu estádio de futebol americano e a escola onde sua mãe leciona o convidou para comparecer e falar com os estudantes.

“Acho que isso faz parte dos meus objetivos de levar a natação para um nível mais elevado”, disse Phelps.

Phelps embolsou um milhão de dólares de seu patrocinador Speedo por quebrar a marca de Mark Spitz, de sete ouros conquistados em uma única Olimpíada, no caso a de Munique, em 1972, mas não tem planos de desperdiçar nada com algum presente para si.

Ele diz que o dinheiro e a fama não irão causar nenhuma mudança em seu modo de ser, no entanto, tem uma coisa em que ele espera que sua fama o ajude.

“Eu gostaria de conhecer o Michael Jordan. O que ele fez pelo basquete é o que eu estou tentando fazer pela natação. Eu nunca o encontrei, nem, o Tiger Woods. Eu adoraria encontrar ambos”, afirmou o nadador.

Phelps admitiu que em várias ocasiões pensou em trocar a natação por algum esporte com um regime de treinamento mais fácil, mas garante que este não é mais o caso.

Ele quer continuar nadando pelo menos até a Olimpíada de Londres, deixando de lado a tentação de se aposentar e aproveitar a boa vida.

“Eu me vejo como uma pessoa normal, o mesmo garoto de quatro anos atrás”, disse. “Tenho realizado tantas coisas e tido experiências que ninguém jamais terá com 23 anos de idade.”

“Não importa do que eu abri mão quando era mais novo. Tudo o que eu não fiz antes posso fazer quando eu quiser quando não estiver nadando mais, então, não tem problema em sacrificar algumas coisas.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below