August 19, 2008 / 3:05 PM / 9 years ago

Argentina acaba com sonho brasileiro de ouro inédito

6 Min, DE LEITURA

<p>Sergio Aguero abra&ccedil;a Riquelme para comemorar o gol contra o Brasil nas olimp&iacute;adas de Pequim REUTERS. Photo by Sergio Moraes</p>

PEQUIM (Reuters) - O sonho brasileiro de conquistar a inédita medalha de ouro no futebol masculino dos Jogos Olímpicos acabou diante da Argentina. Melhores desde o princípio, os atuais campeões olímpicos selaram a vitória liderados por Lionel Messi. Sergio Aguero, duas vezes, e Juan Riquelme, de pênalti, marcaram os gols da vitória argentina por 3 x 0, nesta terça-feira, em Pequim.

A derrota na semifinal mandou o Brasil para a disputa da medalha de bronze contra a Bélgica, na qual a equipe terá os desfalques de Lucas e Thiago Neves -- expulsos no fim do jogo contra a Argentina.

Na decisão do ouro, os argentinos terão a chance de uma revanche contra a Nigéria, que foi campeã em Atlanta-1996 numa repetição da final de Pequim.

Ronaldinho Gaúcho, capitão da equipe e que foi à Olimpíada com a expectativa de recolocar a carreira no rumo, perdeu o duelo individual com o antigo companheiro de Barcelona Messi. Mesmo sem marcar gol, Messi foi o nome da partida, infernizando a defesa brasileira o jogo todo.

Ronaldinho só apareceu numa cobrança de falta na trave depois que Aguero já tinha marcado duas vezes para colocar a Argentina na frente, no começo do 2o tempo. Riquelme, de pênalti, marcou o gol que selou o placar.

O peso da derrota aumenta a pressão sobre o técnico Dunga, que chegou aos Jogos já em situação delicada devido à má campanha da equipe principal nas eliminatórias para a Copa do Mundo. Ronaldinho, que fez apenas um bom jogo em toda a Olimpíada -- contra os amadores na Nova Zelândia -- rendeu abaixo do que a torcida esperava.

O clássico do futebol mundial, que marcou a estréia da seleção brasileira na cidade-sede da Olimpíada, era um dos momentos mais aguardados dos Jogos. O astro do basquete norte-americano Kobe Bryant, que se declarou fã de Ronaldinho, estava no estádio, assim como Diego Maradona, este mostrado várias vezes pelas câmeras incentivando sua equipe.

DOMÍNIO ARGENTINO

Os argentinos foram superiores no primeiro tempo desde o início, liderados por um Messi se movimentando pelos dois lados de campo e levando constante perigo à defesa brasileira. Do outro lado, Ronaldinho jogou num ritmo mais cadenciado, procurando passes curtos, o que dificultava a criação de jogadas ofensivas por parte da seleção brasileira.

Apesar do maior volume de jogo, a Argentina não chegou a criar uma chance clara de marcar na etapa inicial. Nas melhores oportunidades, Aguero acertou a rede pelo lado de fora e Messi parou nas mãos do goleiro brasileiro Renan.

A melhor saída do Brasil para o ataque era pelas laterais, mas tanto Marcelo como Rafinha estavam jogando isolados, uma vez que os meias não apareciam para tabelar. Em uma arrancada pela direita, Rafinha deu o primeiro chute com perigo do Brasil, mas a bola saiu muito aberta e quase possibilitou a chegada de Rafael Sóbis, mas o atacante não alcançou.

Depois de quinze minutos movimentados, o jogo esfriou. Mas novamente foi a Argentina quem retomou as ações ofensivas.

Hernanes teve que recorrer a uma falta em cima da linha para impedir que Messi invadisse a área, e pouco depois Messi voltou a assustar a defesa brasileira ao cruzar rasteiro para o meio da área.

Aos 40 minutos, foi a vez do goleiro Renan fazer uma bonita defesa num chute forte cruzado de Messi. O primeiro tempo acabou com nenhum chute brasileiro no gol adversário, ante dois da Argentina, e com três escanteios para os argentinos e nenhum para o Brasil.

Dois Vermelhos

O gol que não saiu no primeiro tempo acabou acontecendo logo aos 7 minutos da etapa final. Aguero antecipou-se à marcação e escorou para o fundo da rede, de dentro da pequena área, após chute forte cruzado de Di Maria à meia altura.

A seleção brasileira pareceu ter acordado com a desvantagem no placar, e Rafael Sóbis acertou o pé da trave num chute de fora da área logo após a saída de bola. Mas a equipe não conseguiu reverter a superioridade dos rivais.

Três minutos depois de abrir o placar, a Argentina marcou o segundo gol, novamente numa bola cruzada para o meio da área. Dessa vez, Aguero empurrou mansamente a bola para a rede, aproveitando passe rasteiro do lateral Luciano Monzon.

Com 30 minutos de jogo pela frente, Dunga colocou o time mais no ataque com a entrada de Thiago Neves no lugar de Hernanes. Alexandre Pato também substituiu Sóbis, que só deu um chuto no gol durante uma hora em campo.

Aos 19 minutos, Ronaldinho Gaúcho acertou uma cobrança de falta na trave. No rebote, Pato mandou a bola para as redes, mas o gol foi anulado corretamente por impedimento do atacante do Milan.

Sem saber como parar a velocidade da Argentina, o Brasil recorreu a um pênalti de Breno sobre Aguero aos 30 minutos. Na cobrança, Riquelme colocou um ponto final na esperança brasileira de empatar a partida.

Antes do final, o volante Lucas ainda recebeu cartão vermelho por falta por trás no companheiro de Liverpool Javier Mascherano, e Thiago Neves também foi expulso após chutar o mesmo Mascherano.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below