Pilotos da Fórmula 1 descartam hipótese de greve

quinta-feira, 19 de junho de 2008 17:12 BRT
 

Por Alan Baldwin

MAGNY-COURS (Reuters) - Os pilotos milionários da Fórmula Um descartaram nesta quinta-feira uma sugestão do bicampeão mundial Fernando Alonso de que poderiam entrar em greve por causa do preço das licenças de corrida.

O espanhol, que é um dos diretores da Associação dos Corredores de Grandes Prêmios (GPDA), disse que os protagonistas do GP da França estavam irritados com as crescentes taxas cobradas pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

"É algo que devemos analisar. Não sei qual será a solução e não sei o que faremos mas se tivermos uma greve em Silverstone, então talvez seja uma possibilidade", disse o piloto da Renault a jornalistas.

O grande prêmio da Grã-Bretanha em Silverstone, uma corrida em casa para maioria das 10 equipes, acontece no dia 6 de julho, e os testes no circuito começam na próxima semana.

O campeão mundial Kimi Raikkonen, da Ferrari, que tem o melhor salário da Fórmula 1, recebendo 230.000 euros (358.200 dólares), disse que "nunca vai acontecer de todos os pilotos entrarem em greve".

O piloto da Honda Jenson Button disse que desconhecia qualquer conversa sobre greve.

"Tenho certeza de que eles (os pilotos) poderiam, mas não acho que os patrocinadores e contratos permitiriam", disse o inglês.

Os pilotos da Red Bull Mark Webber, um dos três diretores da GPDA, e David Coulthard rejeitaram a ação.   Continuação...