Juan leva os aplausos após empate do Brasil no Peru

segunda-feira, 19 de novembro de 2007 11:02 BRST
 

Por Brian Homewood

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Juan, em vez de Ronaldinho Gaúcho, Kaká ou Robinho, foi o jogador mais celebrado da seleção brasileira após o empate por 1 x 1 com o Peru, no domingo, pelas eliminatórias da Copa do Mundo da África do Sul.

De estilo tranquilo e fala mansa, o zagueiro da Roma comandou a defesa brasileira na partida em Lima, afastando repetidas vezes, de cabeça ou de carrinho, as jogadas de ataque criadas pelo time da casa.

A seleção brasileira desembarcou na manhã desta segunda-feira em São Paulo para o jogo de quarta contra o Uruguai sabendo que não poderá contar com Lúcio, suspenso por ter recebido o segundo cartão amarelo.

Mas com a boa fase de Juan, o desfalque do capitão não chega a ser uma preocupação. Juan já tinha se destacado no empate por 0 x 0 do Brasil com a Colômbia na estréia da equipe nas eliminatórias, no mês passado, e a atuação de domingo foi mais uma indicação de que a seleção brasileira está se tornando mais consistente na defesa.

"Não temos só a dupla ideal, podemos encontrar tranquilamente de 10 a 15 zagueiros de altíssimo nível para a seleção brasileira", afirmou o técnico Dunga recentemente. "A zaga não preocupa mais."

O gol no segundo tempo de fora da área de Juan Vargas, que garantiu o empate ao Peru, foi o primeiro sofrido pelos brasileiros nos últimos quatro jogos de competição e o primeiro nessas eliminatórias.

Quando Lucio perdeu a Copa América deste ano por estar lesionado, a dupla de Juan com Alex Costa foi igualmente eficiente na conquista do título. O Brasil não sofreu gols em três dos seis jogos.

Juan e Lucio estão juntos na defesa brasileira há mais de dois anos e já se tornaram referência da equipe. A dupla foi um dos poucos destaques do Brasil na fracassada campanha do Brasil na Copa do Mundo do ano passado, quando o time sofreu apenas dois gols em cinco jogos.

Juan ainda esteve próximo de dar a vitória ao Brasil sobre o Peru, ao acertar uma cabeçada no travessão no último lance do jogo. O triunfo brasileiro, entretanto, seria injusto com os anfitriões, que tiveram maior posse de bola durante a partida.

 
<p>O zagueiro Juan (centro) comemora com Kak&aacute; (direita) e Robinho ap&oacute;s gol do Brasil no empate por 1 x 1 com o Peru, no domingo, em Lima. Photo by Enrique Castro-Mendivil</p>