Liukin resgata a beleza dos movimentos da ginástica

quarta-feira, 20 de agosto de 2008 09:24 BRT
 

Por Sonia Oxley

PEQUIM (Reuters) - Nastia Liukin ganhou cinco medalhas olímpicas na ginástica com suas elegantes rotinas, contrariando a tendência de uma era em que movimentos complexos frequentemente se sobrepõem ao aspecto artístico.

Dias depois de a direção do esporte ter divulgado uma petição para que a ginástica mantenha sua beleza, a norte-americana de 18 anos provou que era possível combinar a graça do estilo antigo com as exigências modernas de habilidades mais difíceis.

"Espero que tenha me colocado à parte das outras ginastas, em termos de valores artísticos", disse Liukin, campeã no individual geral -- o que significa ser a ginasta mais completa da competição e a que obteve mais sucesso nesta Olimpíada.

"É algo que sempre tentei melhorar, porque não sou a ginasta de mais força. Não sou o estereótipo de pequena e forte e poderosa, então é uma questão de em qual parte posso ser melhor."

Desde que um novo sistema de pontuação foi introduzido na ginástica artística, depois de controvérsias em Atenas-2004, os ginastas estão sob pressão para montar suas rotinas com elementos de dificuldade com pontuação muito alta.

As rotinas não levam mais que um minuto, quase nem deixando tempo para respirar.

A tendência é trabalhar uma série forte, de exercícios difíceis e com poucos elementos de ligação. E foi aí que Liukin destoou e apareceu mais -- ela ainda procura flutuar como uma bailarina entre seus exercícios.

É exatamente o que Bruno Grande, o presidente da Federação Internacional de Ginástica (FIG), tinha em mente quando disse em Pequim que queria que o esporte continuasse "artístico".   Continuação...