ENTREVISTA-China já é a nova superpotência do esporte

quinta-feira, 21 de agosto de 2008 05:23 BRT
 

Por Karolos Grohmann

PEQUIM (Reuters) - O domínio da China nos Jogos de Pequim reflete uma mudança geopolítica no mundo e é difícil vê-los fora do topo da ordem mundial esportiva, disse o presidente do COI Jacques Rogge na quinta-feira.

"Acho que eles estão chegando lá -- no topo", disse o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI) em entrevista às agencias de notícias. "Vai ser muito difícil mudar isso."

Até a manhã de quinta-feira, a China havia conquistado 45 medalhas de ouro, no topo do quadro de medalhas em Pequim, com os Estados Unidos em segundo, somando 27.

"Eles devem terminar com algo entre 50 e 60 (ouros). Não estou surpreso", disse Rogge.

Ele disse que o sucesso olímpico da China deve-se principalmente aos recursos investidos no esporte para mostrar uma imagem de modernidade do país.

Vinte anos atrás, nos Jogos de Seul, a China ficou com cinco medalhas de ouro, fora da lista dos 10 países com mais medalhas. Pequim tem, desde então, investido pesado em seleção e treinamento de atletas, um esforço que espelha o crescimento do poder global econômico e político da nação.

"O mundo tem que aprender a viver com uma mudança na natureza geopolítica", disse Rogge. Isso (o sucesso esportivo da China) vai durar tanto quanto seu sistema esportivo dure", disse o dirigente.

Ele também disse que a melhor performance britânica nos Jogos em um século, com 17 medalhas de ouro até agora, é um bom prenúncio para a Olimpíada de Londres, em 2012.   Continuação...